O custo da gestão de resíduos dobrou

De acordo com a Agência de Gestão de Meio Ambiente e Energia (ADEME), o custo de gestão de resíduos urbanos - lixo doméstico, lodo de esgoto e resíduos de poda - dobrou globalmente em dez anos. Antes da dedução de qualquer apoio financeiro, varia entre 130 a 220 euros por tonelada, ou 40 a 95 euros por habitante e por ano. Esse número deve, porém, aumentar de forma menos acentuada nos próximos anos, acredita a ADEME.

Fonte: ADEME

Nota da economologia: se é "normal" que a massa de resíduos aumente, é estranho que o custo específico também aumente.
Na verdade, as modernizações tecnológicas e organizacionais trazidas para estações de purificação, centros de triagem ou instalações de incineração tendem a reduzir esses custos ...
A menos que:
- os custos de investimento são levados em consideração com precisão (cálculos, portanto, distorcidos, pois a depreciação virá mais cedo ou mais tarde!)
- isso é um reflexo do custo “excessivo” da separação de resíduos. Nesse caso é na fonte (embalagem) que seria necessário intervir ... porque viver de subsídios é razoável no longo prazo?

Leia também:  Poluição, saúde em primeiro lugar o medo dos Belgas

Deixe um comentário

Seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios estão marcados com *