Madeira, a fonte de escolha do etanol

Engenheiros da State University of New York desenvolveram um conceito de biorrefinaria baseado na transformação de madeira em etanol que pode ser usado como combustível. A madeira dura contém, de fato, 35% de xilana (9 a 14% para madeira macia), um polímero de açúcar simples a partir do qual é possível obter etanol por fermentação. O processo desenvolvido por Thomas Amidon e seus colegas é o seguinte: lascas de madeira comuns são misturadas com água e aquecidas em alta temperatura para separar as fibras de celulose. A solução restante é então filtrada através de uma membrana que retém a famosa xilana e uma quantidade menor de ácido acético, que é usado para a síntese do acetato de polivinila. Os rejeitos podem ser queimados ou gaseificados para a produção de eletricidade e calor. As vantagens do método estão relacionadas à matéria-prima utilizada. A madeira é mais fácil de transportar e armazenar do que outras fontes de biomassa (por exemplo, cereais) e pode ser colhida durante todo o ano. Segundo os pesquisadores, com a adição de biorrefinarias às fábricas de papel americanas, poderíamos produzir 9 bilhões de litros de etanol por ano. Seu trabalho, ainda em fase experimental, é apoiado financeiramente pelas empresas Lyonsdale Biomass e International Paper, líder mundial na fabricação de papel. (A madeira ajudará a atender às necessidades de energia dos EUA)

Leia também:  Pesquisadores de Toulouse desenvolvem biocombustíveis baratos

fonte

Deixe um comentário

Seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios estão marcados com *