Alasca: Senado dos EUA vota para autorizar a perfuração de petróleo

A alta dependência energética dos Estados Unidos e o aumento contínuo do preço do petróleo levaram o governo americano a abrir áreas protegidas por 20 anos no Alasca. O impacto ecológico de tal decisão, denunciado por vários anos por organizações ecológicas, é no entanto conhecido: erosão da biodiversidade, aquecimento global e ataque à sobrevivência das populações que vivem nesta região.

No Alasca, continua a abertura de áreas protegidas para exploração de petróleo. O presidente Bush estima que 10 bilhões de barris podem ser extraídos da área de vida selvagem nacional do Ártico e, diz ele, "quase sem impacto no meio ambiente e na vida selvagem". Além do aspecto ambiental, os senadores democratas - que votaram contra o texto - denunciaram o absurdo econômico dessas novas perfurações. John Kerry declarou assim que “esta medida não teria efeito no abastecimento energético do país a longo prazo”, enquanto o senador democrático Richard Durbin estimava a produção potencial de petróleo em apenas 2,5% das necessidades dos países. Estados Unidos.

Leia também:  A célula de combustível não é para amanhã

Leia mais

Deixe um comentário

Seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios estão marcados com *