Amazônia corre o risco de se tornar savana

BRASILIA (AFP),
o 28-07-2004

A floresta amazônica pode se transformar em uma zona de savana em 50 a 100 anos devido ao aquecimento global e incêndios que destroem a área florestal no Brasil, alertou um cientista brasileiro na terça-feira.

"Quase todos os cenários apontam para uma" savana "(da Amazônia) dentro de 50 a 100 anos", disse Carlos Nobre, pesquisador do Instituto Nacional de Investigações Espaciais (INPE), na Terceira Conferência da "Projeto em larga escala sobre a biosfera e a atmosfera da Amazônia", inaugurado terça-feira em Brasília.

“Na pior das hipóteses, a floresta perde cerca de 60% de sua superfície; na melhor das hipóteses, tudo continua como acontece agora; no caso de um cenário intermediário, 20% de sua superfície desaparece ”, afirmou.

"Mesmo sem o desmatamento, o aquecimento global poderia causar a" savana "de 20% a 30%" da Amazônia, informou Nobre.

Segundo fontes oficiais brasileiras, 70 anos 2002 final, os incêndios destruíram mais de 630.000 2 milhões km3,68 de km2 conta que a floresta amazônica no país (70% da floresta amazônica).

Leia também: Com a entrada em vigor do Protocolo de Kyoto, histórico e guia do MIES

O pesquisador do INPE considera que o desmatamento, causado pelo avanço do cultivo da soja e da pecuária, já tem um impacto climático, tanto localmente quanto em áreas mais remotas, pois causa "uma diminuição chuvas e um aquecimento mais significativo do clima ”.

Nobre acredita que esse processo pode ser revertido através da criação de um grande órgão para coordenar esforços em favor da Amazônia. Isso implica em uma reorientação de recursos, já que atualmente "apenas 3% da receita da pesquisa vai para a Amazônia", disse Nobre.

Deixe um comentário

Seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios estão marcados com *