Depois da era industrial, nada?

A era industrial entrou em sua fase crítica. O processo de redução progressiva já está em andamento no 2005 e, em alguns anos, a era industrial vai parar, vamos entender por isso que instalações industriais de todos os tipos não poderão mais continuar.

A ameaça ao suprimento de energia condena irreparavelmente a infraestrutura industrial existente e as atividades industriais que dela decorrem. Ninguém pode ignorar o fato de que os recursos de energia primária estão acabando, isso é uma questão de alguns anos, no máximo, e ao mesmo tempo, esses mesmos recursos verão seu preço de custo aumentar dramaticamente, conseqüência de sua escassez diante de uma demanda que cresce a cada dia. Vivemos em um mundo onde tudo flui intimamente do que está acontecendo industrialmente. Por causa da organização industrial mundial, uma pequena mudança em um parâmetro primário (como o preço do petróleo, por exemplo) tem consequências incalculáveis ​​em uma quantidade de coisas.

Leia também: ITER: Muito barulho por nada?

O último suspiro industrial virá da Ásia e, mais particularmente, da China. Durante esse período, as outras duas potências, a América e a Europa, encontrarão dificuldades insuportáveis ​​para conter suas indústrias, os empregos de suas indústrias, sem falar, é claro, sobre as inúmeras atividades indiretamente relacionadas às suas indústrias. Nem sequer mencionemos a situação da África que está afundando. Depois disso, nada.

PARA A FRENTE - 18 / 10 / 2005
Coluna de Olivier RIMMEL

Deixe um comentário

Seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios estão marcados com *