Bônus-malus: a medida emblemática não ilumina longe.

Compartilhar esse conteúdo com:

Anunciado o 26 em junho passado, a medida "bonus-malus" do plano Climat 2004 era taxar os carros mais poluentes e incentivar os franceses a comprar carros menos gananciosos. "Vamos derrotar os grandes quatquats de nossas cidades! Foi o grito de guerra de toda a mídia.

Não demorou muito para que os lobbies ligassem para pedir pessoas ingênuas que acreditavam no protocolo de Kyoto. Eles não entenderam que isso é uma farsa, uma piada. De fato, é preciso encontrar pequenas medidas, mas que são muito caras para serem vistas à vista.
Mas este erro foi reparado: o plano que será apresentado ao Parlamento é uma pequena jóia desse tipo. Faturado 90 milhões de euros (no primeiro ano), permitirá:
- colocar "rótulos energéticos" bonitos (como o que já existe em eletrodomésticos) em veículos, residências e aparelhos de ar condicionado.
-para promover a conformidade com o limite de velocidade (mas não para baixá-lo para 120 km / h na rodovia, conforme planejado).
- oferecer treinamento em direção suave a novos motoristas (podemos imaginar as consequências ...).
- lançar um estudo sobre o impacto do transporte aéreo (come pão e ocupa).
- aumentar o crédito tributário disponível para aqueles que optam por equipamentos econômicos (o que equivale a assumir o controle da comunidade em vez de procurar reduzir custos e aumentar a eficiência).

Conclusão: era de se esperar.

comentários do Facebook

Compartilhar esse conteúdo com:


Deixe um comentário

Seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios estão marcados com *