Os propresticides campanha

O lobby pesticidas acusado de campanha enganosa

No pôster, um homem com um batedor de ovos na mão, parecendo determinado a lutar em sua cozinha, ou uma mulher gostando de degustar em frente ao piano. Acima à direita, uma pergunta: "E você, o que sabe sobre pesticidas?" Eles parecem não saber muito sobre isso e é para informá-los que a União das Indústrias de Proteção Vegetal (UIPP) embarcou em um vasto "acção de comunicação"Desde fevereiro 10 por seis meses. "Queremos explicar ao público o que os pesticidas, explica Jean-Charles Bocquet, Diretor Geral da UIPP. É um processo de transparência.»

Problemas. Essa transparência não agrada as associações de defesa ambiental, que entraram com um processo no tribunal de Rennes na sexta-feira para a UIPP sob o argumento de que a publicidade causou um "problema'. "Queremos que esta campanha de mentiras é suspenso"Diz François Veillerette o Movimento pelos Direitos e respeito para as gerações futuras (MDRGF). “O objetivo da UIPP é tornar os agrotóxicos socialmente aceitáveis, fazendo com que um público desinformado acredite que eles não são perigosos para a saúde e o meio ambiente, que seu uso é absolutamente imprescindível e que em todo caso , comida orgânica não é melhor para você! ” O juiz vai decidir o 9 março.

Leia também:  O mundo depois do coronavírus: o que vai mudar e não?

As associações também estão conduzindo uma ação cibernética contra as revistas, principalmente mulheres, que publicaram o anúncio incriminado. Mas o papel mais interessante será jogado em tribunal quando o MDRGF, apoiado por um coletivo de associações contra a campanha da UIPP, apresentar uma ação-crime com a constituição de uma parte civil para "propaganda enganosa"E"publicidade comparativa ilícita», Após o resumo. Esta reclamação permitirá resolver o problema fundamental, nomeadamente o impacto dos produtos fitofarmacêuticos na saúde e no ambiente. Cabe aos fabricantes provar a inocuidade de seus pesticidas.

"Inofensivo". «Nossos produtos são submetidos a uma avaliação muito precisa e somente aqueles que são inofensivos são aprovados.»Relembra Jean-Charles Bocquet. A campanha da UIPP quer resgatar a imagem dos produtos fitossanitários, cuja imagem está manchada, principalmente após as disputas judiciais entre o Regente e o Gaúcho, dois agrotóxicos acusados ​​por apicultores de dizimar suas colméias. Além disso, os consumidores estão cada vez mais preocupados com o conteúdo do prato e comprando mais produtos da agricultura orgânica.

Leia também:  Philippe Séguin denuncia o golpe da dívida pública

Ambientalistas decidiram fazer greve no meio da Mostra Agropecuária, vitrine de um modelo intensivo ávido por produtos fitossanitários. “O agrotóxico não é obrigatório”, estima a Federação Nacional de Agricultura Orgânica. "A nossa agricultura é como um grande hospital onde as plantas são continuamente perfundidos com fertilizantes, pesticidas e inseticidas", Acusa Philippe Desbrosses, coordenador da rede Objectif bio 2007, que faz campanha pela agricultura 100% orgânica na França.

Deixe um comentário

Seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios estão marcados com *