Suécia, o primeiro trem de biogás

O primeiro trem movido a biogás, uma energia renovável produzida a partir de resíduos orgânicos, foi colocado em circulação na segunda-feira ( 24 de outubro de 2005 ) na Suécia, aprendemos com a Svensk Biogas. “O trem saiu no horário, às 14h42, e tudo vai bem”, disse Peter Undén, diretor de marketing da empresa proprietária, contatado a bordo do veículo pela AFP.

A máquina, que conecta as cidades de Linköping, ao sul de Estocolmo e Västervik, na costa leste sueca, a cerca de 80 quilômetros de distância, fará agora "uma viagem diária, mas a ambição é que o faça até dois ou mais ”, explicou o Sr. Undén. Composto por um único vagão que pode transportar cerca de XNUMX passageiros, a velha máquina Fiat viu seus motores a diesel substituídos por dois motores a gás Volvo, Svensk Biogas explicou durante sua inauguração em junho passado.

Funciona com biogás, uma ramificação da decomposição da matéria orgânica que ocorre naturalmente ou voluntariamente e que, uma vez recuperada, pode ser usada como combustível.

Leia também:  A sexta extinção em massa

Como ocorre com outros biocombustíveis, a combustão do biogás permite uma redução significativa na emissão de gases de efeito estufa.

“Não consome os combustíveis habituais, mas sim energias renováveis ​​(…) é uma forma muito boa de desenvolver sistemas de transporte sustentáveis”, sublinha Peter Undén. Além disso, o biogás é um material que não depende de importação estrangeira. “Os municípios podem garantir a sua produção e isso gera empregos”, frisou.

Finalmente, também é mais silencioso do que a maioria dos outros trens, de acordo com o Sr. Undén. O Diretor de Marketing da Svensk Biogas ficou encantado com esta primeira segunda-feira, “uma oportunidade de mostrar que é algo que funciona”.

Segundo ele, países estrangeiros manifestaram interesse no trem do biogás, incluindo a Índia.

Fonte: La Libre Belgique

Nota de Rulian: Finalmente um país que parece estar se movendo. Nossos governantes fariam bem em tirar a semente dela. Parabéns aos suecos.

Deixe um comentário

Seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios estão marcados com *