usinas de energia nuclear, aquecimento e onda de calor

Ou como EdF acontece para fazer lobby para contrariar os padrões de temperatura da água de suas plantas atômicas arrefecimento.

Introdução

A onda de calor de 2003 a havia revelado, a onda de calor de 2006 a confirmou: as usinas nucleares são muito sensíveis a uma temperatura ambiente acima da média! Razão: uma usina deve ser resfriada com água do rio. No entanto, atualmente, não apenas essas águas são mais quentes (onda de calor), mas o fluxo dos rios também é limitado (seca). E como a EdF não tem, em teoria, o direito de aquecer a água em mais de X ° C.

Assim, os valores X são fixados em 0,3 ° C para as instalações localizadas nas margens do Garonne, em 1,5 ° C para as instalações situadas nas margens do rio Meuse, Mosela ou Sena e em 1 ° C para as instalações localizadas nas margens do Ródano, parcial ou totalmente equipada com torres de resfriamento atmosférico. Este valor é trazido para 3 ° C na ausência de tais voltas.

Como o fluxo do rio é constante e a diferença de temperatura é fixada pelos padrões, existe um problema de balanço de calor e, portanto, são criadas preocupações com o resfriamento (ou aquecimento). Uma queda de energia poderia resolver facilmente o problema ...

Somente aqui: a EdF não pode reduzir facilmente sua produção, porque o forte desenvolvimento de aparelhos de ar condicionado individuais (desde 2003) agora exige maior energia durante o verão (+ 3% em comparação com o normal em julho, de acordo com a RTE). Portanto, os condicionadores de ar mecânicos não são uma solução para o problema do aquecimento global, pelo contrário, contribuem amplamente para o superaquecimento dos centros urbanos e o consumo excessivo de eletricidade! E dizer que existem aparelhos de ar condicionado solar ... mas esse é outro debate.

Para atender à demanda, a EdF, portanto, não tem outra escolha senão rejeitar a água mais quente que a exigida pelas Normas…

Leia também: CITEPA: inventário de emissões de grandes instalações de combustão em França

Excertos de imprensa:

1) Heatwave: EDF quer suas plantas pode rejeitar águas mais quentes

A EDF pediu ao governo que autorize excepcionalmente, no caso de uma onda de calor, suas usinas nucleares e térmicas localizadas ao longo do rio para captar e descarregar água de resfriamento a temperaturas "ligeiramente acima" dos padrões, anunciou o grupo. sábado.

"A necessidade de manter a segurança do fornecimento de eletricidade no território, sob as condições atuais de calor muito persistente em vários países europeus, levou a EDF a solicitar, por precaução, a implementação de medidas excepcionais junto às autoridades públicas. ", Disse a EDF em um comunicado de imprensa.

(...)

O pedido de autorização foi feito aos Ministérios das Finanças, Ecologia e Saúde que, se o aceitarem, tomarão um decreto interministerial nesse sentido, explicou um porta-voz da FED, acompanhado por AFP.

(...)

Na Golfech, a água devolvida está no máximo em 30 graus contra 28, enquanto em Bugey está em no máximo 27 graus contra 24 normalmente, disse a EDF em seu comunicado à imprensa.

Para explicar sua decisão, o grupo destacou que "os calores excepcionais dos últimos dias, superiores aos níveis 3 6 e sazonais, causaram um aumento histórico das temperaturas dos rios" e enfraqueceram os recursos hídricos ", essenciais para a produção hidráulica "e o resfriamento de centrais elétricas.

2) Heatwave: isenções para d`eau concedidos aos lançamentos do FED

Em comunicado à imprensa, a EDF apontou, no entanto, que um dispositivo semelhante havia sido colocado em prática durante a onda de calor de 2003 e "que nenhum impacto na fauna ou flora foi observado".
Isenções foram concedidas neste verão por três estações localizadas na Garonne e do Rhone.
A empresa lembra que foi recentemente forçada a comprar eletricidade nos mercados atacadistas para garantir o fornecimento do território francês.
Em 19 de julho, a EDF anunciou que havia comprado 2.000 megawatts de eletricidade no exterior.

Leia também: Cool Earth para lutar contra o aquecimento global?

3) Onda de calor: derrogação e usina nuclear 3 em todos os lugares…

Exceder estes limites de temperatura poderia resultar no fechamento de várias usinas de geração de energia.

EDF pediu ao Governo para autorizar excepções à temperatura de emissões para a água para usinas 6 para produção de electricidade, Blénod, La Maxe, Porcheville, Aramon, Richemont e Cordemais.

Nelly Olin, Ministro da Ecologia e do Desenvolvimento Sustentável, rejeitou por enquanto qualquer possibilidade de renúncia de estações 3 6 em causa. Esta decisão foi tomada após consulta do Ministério da Indústria, a partir da análise de seus serviços em termos de impacto sobre os ambientes aquáticos naturais e nas informações fornecidas pelo operador da rede de transmissão eletricidade, RTE. Com efeito, a operação dessas estações podem não ser essencial para a continuidade do fornecimento de utilizador.

É autorizado, para fins preventivos, os prefeitos a tomar isenções plantas 3 (Aramon, Cordemais e Richemont). Essas exceções são acionados apenas quando absolutamente necessário para manter a segurança da rede de distribuição de electricidade e são acompanhados por medidas de acompanhamento relativas ao respeito pelo ambiente.

Deixe um comentário

Seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios estão marcados com *