Confirmação do desequilíbrio da energia da Terra

Pesquisadores americanos publicam na revista Science os resultados de simulações da evolução do clima da Terra ao longo de um período de pouco mais de um século (de 1880 a 2003), realizadas a partir do modelo computacional do Goddard Institute for. Estudos Espaciais (GISS).

Jogando principalmente no aumento dos gases de efeito estufa de origem antropogênica (dióxido de carbono, metano,
óxido nitroso, clorofluorcarbonos, etc.), a equipe foi capaz de simular o desequilíbrio atual no balanço de energia da Terra, uma simulação consistente com dados conhecidos.

Agora, nosso planeta absorveria 0,85 (+ ou - 0,15) mais energia solar por metro quadrado do que reflete. Esse número, corroborado no modelo utilizado pelas medições de temperatura em profundidade e nível do mar nos últimos 10 anos, é preocupante. Cientistas da NASA, da Columbia University e do Lawrence Berkeley National Laboratory dizem que mesmo se as concentrações de gases do efeito estufa se estabilizarem hoje, o clima aumentaria 0,6 ° C de qualquer maneira. o final do século devido à inércia térmica dos oceanos, que demoram a aquecer. Além disso, devemos esperar uma aceleração do derretimento do gelo continental e da elevação do nível das águas, já iniciada.

Leia também:  Energia eólica nos EUA

Atualmente, esse nível está subindo a uma taxa de 3,1 centímetros por década, o dobro do que era há cem anos.

LAT 29/04/05 (Cientistas consideram a mudança climática 'uma arma fumegante')

Fonte: http://www.latimes.com

Deixe um comentário

Seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios estão marcados com *