Devem desenvolver estratégias científicas para a utilização de dióxido de carbono

Na conferência de Kyoto, os países associados decidiram reduzir a produção de dióxido de carbono. Como tal, o Prof. O Dr. Arno Behr, da Faculdade de Engenharia Química e Biológica de Dortmund, desenvolveu dois processos. Como especialista, ele realiza pesquisas há 25 anos sobre o uso e a transformação de dióxido de carbono em matérias-primas preciosas. Ele estuda reações químicas do ponto de vista de sua lucratividade e viabilidade técnica em laboratórios de teste. Sua cadeira em "Desenvolvimento de processos químicos" é uma das
raros centros de competência em química de dióxido de carbono na Alemanha.

O primeiro processo desenvolvido por M. Behr consiste em ativar a catálise de um metal de transição: o dióxido de carbono encontra um metal, como em um catalisador de automóvel, é ativo e pode reagir com o hidrogênio para formar ácido fórmico (E 236), que pode então ser
se transforma em outros produtos valiosos. Um segundo exemplo é a reação do dióxido de carbono com butadieno, que produz lactona, que pode ser usada como odorante ou como base para a criação de plásticos.

Leia também: Brasil lança primeiro avião a álcool produzido em massa no mundo

O segundo processo é a ativação da radiação de microondas, que ativa as moléculas de dióxido de carbono no plasma. Isso pode reagir com o gás natural para formar um gás de síntese que pode ser usado para a fabricação de álcoois ou gasolina.

Obviamente, esses processos transformam apenas parte do CO2, mas já é o primeiro passo. O desenvolvimento de soluções mais práticas requer pesquisa ainda mais intensiva.

Contatos:
- Prof. Dr. Arno Behr - tel: +49 231 755 2310, fax: +49 231 755 2311 -
e-mail:
behr@bci.uni-dortmund.de
Fontes: Depeche IDW, Comunicado de imprensa da Universidade de Dortmund,
23/02/2005
Editor: Nicolas Condette,
nicolas.condette@diplomatie.gouv.fr

Deixe um comentário

Seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios estão marcados com *