Edgar Morin e sociedade globalizada liberação 2.012!

Edgar Morin analisa a versão "global" da empresa 2.012 em um discurso de minutos 40 no forum de Rennes.

Assista ao vídeo nesta página

Análise da análise por Ahmed, um membro da nossa forum:

Acho tudo na linha certa de Stéphane Hessel, portanto, com as mesmas falhas: uma postura puramente moral que ignora os mecanismos profundos em jogo: não que eu subestime a importância de restaurar ou estabelecer uma ética, mas simplesmente invocar a onipotência das finanças " mal orientado ”ou a ascensão do terrorismo, esta é uma análise bastante resumida!

Se o financiamento está mais visível hoje, estava ausente deste capitalismo "papai" que esses discursos parecem lamentar com sua visão, de repente, muito estreita? Não vemos que essa reconciliação esfarrapada foi apenas temporária e que obscureceu, em seu egoísmo prolongado (mas hexagonal), o preço pago, em outro lugar, mais distante, fora da vista?

Leia também: Pronto para jogar fora Arte: obsolescência planejada não é uma prática recente

Milhares de pessoas estão morrendo e um número muito maior sofre de terrorismo econômico todos os dias no mundo, provocando reações inapropriadas e lamentáveis ​​por parte de alguns: devemos nos surpreender?

Como última observação, não existe uma contradição em ouvir um especialista que nos impele à independência de pensamento (contradição performativa)?
Isso não encerra nossa profunda incapacidade por alguma autonomia?
Quem o ouviria se ele não fosse coroado com seus títulos?

Leia mais e debate:
- Edgar Morin e a sociedade em 2012
- Um discurso semelhante de Stéphane Hessel

Deixe um comentário

Seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios estão marcados com *