Celulose uso do etanol enzimas cupins

Cupins na bomba?

A segunda geração de biocombustíveis deve possibilitar a produção de bioetanol a partir de materiais lignocelulósicos, em particular por hidrólise enzimática.

Pesquisadores da Universidade da Flórida procuraram novos tipos de enzimas em conhecidos agentes de degradação da madeira, os cupins. Eles assim examinaram o intestino desses insetos e analisaram o "digestoma", isto é, o conjunto de genes pertencentes aos insetos e seus simbiontes bacterianos envolvidos na digestão.

Os primeiros resultados permitiram identificar enzimas de interesse para a produção de etanol. Além disso, os pesquisadores mostraram que a digestão da celulose ocorre em duas etapas.

As enzimas de cupins digerem parcialmente a madeira e depois as enzimas secretadas pelas bactérias assumem o controle.

Fonte: NouvelObs, 11/08.

mais: os chamados biocombustíveis lignocelulósicos de 2ª geração

Leia também: utilização industrial da madeira: novo método de dissolução

Deixe um comentário

Seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios estão marcados com *