Biocombustíveis, biocombustíveis, biocombustíveis, a BTL, não fósseis combustíveis alternativos ...Índia poderia abastecer de plástico

óleo vegetal bruto, diéster, bio-etanol ou de outros biocombustíveis, ou o combustível de origem vegetal ...
Moira
x 17

Índia poderia abastecer de plástico

pela Moira » 16/03/04, 10:11

Bonjour!

Este artigo foi publicado ontem na "Libé". Eu entrego para você:

Índia poderia abastecer de plástico
Por Pierre PRAKASH

À primeira vista, a história parece um conto de fadas. Em um modesto laboratório no centro da Índia, um professor de química desconhecido encontrou uma maneira de transformar resíduos de plástico em gasolina. Sem perdas, sem poluição e com um combustível pronto para uso, tudo pela modesta soma de 0,13 euro por litro de gasolina produzida. Esta história é no entanto verdadeira. A descoberta espetacular de Alka Zadgaonkar, professor de uma pequena universidade na cidade de Nagpur, foi de fato testada e validada pela Indian Oil Corporation (IOC), uma das maiores empresas de petróleo da Índia. "O processo precisa ser otimizado, mas funciona", confirma Niranjan Raje, diretor do ramo de pesquisa e desenvolvimento do COI.

Ingrediente secreto. Uma pequena revolução desde então, até hoje, ninguém encontrou uma maneira eficaz de se livrar dos 150 milhões de toneladas de plásticos produzidos a cada ano no mundo. Patenteada pela organização mundial de propriedade intelectual, a invenção poderia ser especialmente providencial para a Índia, que, com uma produção diária de mais de 9 toneladas, está desmoronando sob resíduos de plástico. Embora o inventor tenha sido procurado por várias empresas estrangeiras, ela se recusa a vender sua patente para elas, dizendo que "a invenção deve ser usada primeiro em seu país". "Se a Índia usasse esse processo com metade de seus resíduos plásticos, não apenas limitaria a poluição, mas também se beneficiaria todos os dias com 000 milhões de litros de gasolina adicional", calcula ela.

"O método é eficaz com qualquer tipo de plástico", diz a mulher de 40 anos. Sacos de plástico, tubos de PVC ou até capas de chuva: tudo pode ser usado. Um quilo de lixo gera um quilo de material combustível, dos quais três quartos são combustíveis. ”O processo é surpreendentemente simples. Em resumo, basta aquecer os resíduos a uma temperatura de 350 graus com um pouco de carvão e um ingrediente mantido em segredo. Introduzidos em um reator por três horas, saem na forma de combustível líquido (80%), gás (15%) e resíduos de carvão (5%). O líquido contém 40% a 60% de gasolina, cerca de 25% de diesel e o restante querosene e lubrificante. O gás pode ser usado diretamente na culinária, e os resíduos de carvão são facilmente reutilizáveis ​​pelas centrais térmicas ou pela indústria metalúrgica. "Portanto, transformamos 100% dos resíduos em 100% dos produtos utilizáveis ​​por indivíduos ou pela indústria", resume Umesh Zadgaonkar, marido do inventor, mas também químico, associado ao projeto.

Como o cientista chegou lá? "Plástico e combustíveis são hidrocarbonetos", explica ela. A única diferença é que a cadeia de moléculas é mais longa para o plástico. Então, me dediquei a encontrar uma maneira de quebrar essa cadeia para obter segmentos menores. ”Lançado em 1995, o método deu seus primeiros resultados em 1998. E o que era, no começo, apenas um passatempo para um cientista apaixonado, hoje poderia se tornar uma realidade industrial. Impressionado com os resultados, o Ministério do Petróleo planeja criar uma planta piloto, com capacidade de cinco toneladas por dia, para verificar se o processo é viável em grandes quantidades. Uma quantia de 1,4 milhão de euros foi alocada ao projeto, que aguarda apenas a luz verde final dos cientistas do governo. O plástico será fornecido pelo município de Nagpur, encantado por encontrar uma maneira de descartar seus resíduos. Somente esta pequena cidade no centro da Índia produz cerca de 60 toneladas de plástico por dia.

Refino. Por mais promissor que seja, o método do casal Zadgaonkar infelizmente não é perfeito. Os combustíveis obtidos não podem ser usados ​​diretamente em veículos. “Eles precisam ser refinados, explica Niranjan Raje, mas podem ser usados ​​como são para geradores, bombas agrícolas ou caldeiras.” Para otimizar o processo, os Zadgaonkars assinaram um protocolo no ano passado. acordo com o COI. Este último já encontrou uma maneira de reduzir a quantidade de cloro contida no combustível, mas a equipe do projeto acredita que a invenção tem principalmente uma vocação ecológica. “A viabilidade comercial do produto é atualmente limitada, diz Niranjan Raje. Mas mesmo se não encontrarmos uma maneira de reduzir as impurezas do combustível, o processo ainda é eficaz para se livrar do plástico. ”Os inventores afirmam que“ o refinamento adicional pode ser feito facilmente com métodos conhecidos ". E mesmo sem isso: "Meu carro está funcionando com esse combustível há dois anos, diz Umesh Zadgaonkar, e nunca tive problemas".


Moira :P
0 x

Logan
Eu entendo econológico
Eu entendo econológico
mensagens: 62
Inscrição: 25/03/03, 11:45

pela Logan » 16/03/04, 15:20

Olá,

Observo que, por sua própria admissão, a lucratividade econômica não foi demonstrada.

Podemos traduzir isso da seguinte maneira:

Para transformar 1 kg de plástico em 1 kg de petróleo, é necessário gastar energia no processo de conversão: mais de 1 kg de equivalente de petróleo.
Em outras palavras, o processo consome mais energia do que pode produzir.

A gasolina assim produzida deve logicamente ser mais cara de vender, a menos que seja subsidiada.

Portanto, resta o equilíbrio ecológico:
Substituímos 1 kg de plástico por 1 kg de óleo + 1 kg (pelo menos) de óleo para produzi-lo + a poluição química inerente a essa nova indústria.

Eu não sei, parece-me que sim, assim como lucro.

Penso que a reciclagem de plásticos em outros plásticos é a solução energética mais barata e, portanto, a menos poluente.
0 x
Avatar de l'utilisateur
Misterloxo
boa Éconologue!
boa Éconologue!
mensagens: 480
Inscrição: 10/02/03, 15:28
x 1

pela Misterloxo » 16/03/04, 21:03

E mesmo sem isso: "Meu carro está funcionando com esse combustível há dois anos", diz Umesh Zadgaonkar, e eu nunca tive problemas ".


Parece bom para mim, mas e o cloro e tudo mais?
0 x
Aprender a desobediência é um processo longo. Ele leva uma vida inteira para chegar à perfeição. "Maurice Rajsfus
Pensar é dizer não. "Alain, filósofo
Moira
x 17

pela Moira » 16/03/04, 23:52

Salut!

É verdade que o artigo não é muito rigoroso; por exemplo, ele questiona a rentabilidade econômica da invenção depois de argumentar sobre um preço de baixo custo (0,13).

Mas deve-se notar que os objetivos da operação são os seguintes: despoluição plástica e menor dependência da Índia diante de energias fósseis. No entanto, depois de usar o petróleo para iniciar a produção, suponho que poderíamos usar o combustível produzido para continuar. Assim: reciclagem de resíduos plásticos e menos importações de petróleo para o país. Deste ponto de vista, parece consistente.

Moira
0 x
Logan
Eu entendo econológico
Eu entendo econológico
mensagens: 62
Inscrição: 25/03/03, 11:45

pela Logan » 17/03/04, 00:41

Exceto que se todo o combustível assim produzido for usado apenas para alimentar o processo em um loop, sem nenhum resíduo.
Então eles inventaram uma nova forma de incinerador de resíduos, a arf ...

Toda a questão do interesse econômico está nesse famoso equilíbrio.
Nada diz que existe ...
0 x

slowrage
Eu aprendo econológico
Eu aprendo econológico
mensagens: 13
Inscrição: 12/02/04, 21:51

pela slowrage » 17/03/04, 15:20

ainda me parece bom esse projeto, pois, afinal, o plástico é à base de petróleo (se eu não estiver dormindo), era lógico que poderíamos transformá-lo em gasolina ... pelo problema de impurezas, não importa, colocamos isso em um motor pantone e pronto (ok, eu sonho ^^)
0 x
Logan
Eu entendo econológico
Eu entendo econológico
mensagens: 62
Inscrição: 25/03/03, 11:45

pela Logan » 17/03/04, 17:59

Também podemos imaginar um conversor de plástico em miniatura a bordo do seu carro e acoplado a um reator pantone.

Aí está o pé, rolo rolo de plástico e encho nos aterros sanitários.

arf, eu tenho que parar a ficção científica :D
0 x
Avatar de l'utilisateur
Misterloxo
boa Éconologue!
boa Éconologue!
mensagens: 480
Inscrição: 10/02/03, 15:28
x 1

pela Misterloxo » 17/03/04, 20:28

um pouco como em Back to the Future lol :D
0 x
Aprender a desobediência é um processo longo. Ele leva uma vida inteira para chegar à perfeição. "Maurice Rajsfus
Pensar é dizer não. "Alain, filósofo
Bibiphoque
Eu postei mensagens 500!
Eu postei mensagens 500!
mensagens: 749
Inscrição: 31/03/04, 07:37
Localização: Bruxelles

pela Bibiphoque » 01/04/04, 15:20

MisterLoXo escreveu:um pouco como em Back to the Future lol :D

:P
Sim !!!!, legal demais, mas ei ..
O que parece mais interessante da história, é a reutilização de "massas" consideráveis ​​de materiais plásticos, que sem isso seriam encontradas na natureza; aí, obviamente, há um grande interesse! : Blink:
0 x
Isto não é porque nós sempre disse que é impossível que não devemos tentar :)
Bibiphoque
Eu postei mensagens 500!
Eu postei mensagens 500!
mensagens: 749
Inscrição: 31/03/04, 07:37
Localização: Bruxelles

pela Bibiphoque » 01/04/04, 15:23

MisterLoXo escreveu:
E mesmo sem isso: "Meu carro está funcionando com esse combustível há dois anos", diz Umesh Zadgaonkar, e eu nunca tive problemas ".


Parece bom para mim, mas e o cloro e tudo mais?

:P
Li um artigo mais completo: materiais perigosos são passivados e reutilizados quando possível (entre outras coisas, cloro, passivado com cálcio)
Vou ver se ainda tenho o link em algum lugar ... <_
0 x
Isto não é porque nós sempre disse que é impossível que não devemos tentar :)


Voltar para "biocombustíveis, biocombustíveis, os biocombustíveis, a BTL, combustíveis alternativos não fósseis ..."

Quem está online?

Usuários navegando neste forum : Não há usuários registrados e convidados 8