desastres humanitários, natural, climático e industrialO 6 om extinção

Catástrofes humanitárias (incluindo guerras e conflitos de recursos), naturais, climáticas e industriais (exceto nucleares ou petrolíferas) forum energia fóssil e nuclear). Poluição do mar e oceanos.
Ahmed
especialista Econologue
especialista Econologue
mensagens: 7197
Inscrição: 25/02/08, 18:54
Localização: Borgonha
x 524

Re: 6 om extinção

não lu mensagempela Ahmed » 30/06/18, 23:07

violência aberto, no sentido geralmente entendido, certamente, diminuiu em geral dentro da espécie humana, mas um outro fenómeno de compensação (o mesmo que está no trabalho de encontro a outras espécies e a biosfera operou a favor de uma violência difusa, mas permanente, de natureza social, econômica e psíquica. Isso resulta em numerosas patologias * e mal-estar generalizado.
Quanto à oposição entre o altruísmo e egoísmo, de fato existem esses conceitos em graus variados em todos os animais sociais e sua expressão depende do contexto: o altruísmo tende a favorecer a sobrevivência do grupo **, o egoísmo é um dos grupo de indivíduos mais ou menos relacionado a outros grupos externos concorrentes.
Segundo Pierre JouventinO homem como um primata é instintivamente mais inclinados a um comportamento bastante egoísta, mas sendo tanto biológico, ambiental e etologicamente mas parecido com o lobo, ele teria desenvolvido um desinteresse cultural, lembre-se sua longa história de caçador banda de big game.

* A patologia pode, neste caso, ser descrita como uma reação saudável, mas não pode se expressar contra a violência e que se volta contra a vítima: a dupla penalidade! :(
** E genes tão próximos ou, como hoje substituem genes: a pátria, religião ou alguma crença que une um grupo (torcedor de um clube de futebol! :D ).
0 x
"Não acredito que acima de tudo que eu te digo."

Avatar de l'utilisateur
sen-no-sen
especialista Econologue
especialista Econologue
mensagens: 5823
Inscrição: 11/06/09, 13:08
Localização: Alta Beaujolais.
x 283

Re: 6 om extinção

não lu mensagempela sen-no-sen » 30/06/18, 23:38

Ahmed escreveu:Quanto à oposição entre o altruísmo e egoísmo, de fato existem esses conceitos em graus variados em todos os animais sociais e sua expressão depende do contexto: o altruísmo tende a favorecer a sobrevivência do grupo **, o egoísmo é um dos grupo de indivíduos mais ou menos relacionado a outros grupos externos concorrentes.


O altruísmo e o egoísmo são a mesma coisa, mas não na mesma escala.
Um ser humano é um aglomerado de bilhões de genes, para mostrar que o egoísmo é, de fato, um altruísmo para seus bilhões de subunidades!
Da mesma forma, os defensores da "preferência nacional" são supostamente altruístas em relação aos seus compatriotas e egoístas em relação aos outros, caso de ponto de vista.
Podemos estender esta reflexão para corporações, classes sociais, religiões e minorias de todos os tipos, etc.
Mesmo uma pessoa envolvida em ajuda humanitária sem fronteiras mostraria alguma forma de egoísmo em relação a formas de vida não humanas, porque o desenvolvimento objetivamente humano é feito em detrimento de outros ...
Conciliar a benevolência universal é, portanto, um grande desafio!

De minha parte eu defendo uma tese pessimo-realistas: Eu considero que a mania para a causa animal, uma vez que se desenvolve através do movimento vegan está de fato em linha com o desenvolvimento sustentável.
A próxima contração das economias industriais das primeiras horas levará a uma diminuição no consumo de carne, o movimento vegan Parece-me ser uma maneira inteligente de vestir essa transformação, da mesma forma que o fim do tráfico de escravos negros se vestia humanamente em favor de um novo modelo econômico.
Isto permitir-se pensar que a maioria dos avanços em caracteres humanistas ou altruístas são feitos em uma tela configurada no fato de esconder a triste determinismo jogos de realidade.
Isso não pode ser surpreendente, porque nosso cérebro funciona assim: nosso self se atribui à realização de atos que são, na realidade, apenas uma convergência inconsciente de processos neurológicos.
A história constituiria então, desse ponto de vista, apenas uma narração realizada a posteriori e propondo a "grandeza humana" ...
0 x
"Genius, por vezes, consiste em saber quando parar" Charles De Gaulle.
Ahmed
especialista Econologue
especialista Econologue
mensagens: 7197
Inscrição: 25/02/08, 18:54
Localização: Borgonha
x 524

Re: 6 om extinção

não lu mensagempela Ahmed » 01/07/18, 08:21

Sim, é muito claro: eu escrevi minha mensagem um pouco apressadamente e seu texto é muito melhor. Eu me permito corrigir uma sentença:
** E também de genes próximos ou, como hoje, substitutos de genes (e quais são os memes, genes psíquicos): a pátria, a religião ou qualquer crença que une um grupo (adeptos de um clube de futebol! :D ).

Você escreve:
... a maioria dos avanços com personagens humanistas ou altruístas são na verdade telas colocadas a posteriori, para esconder a triste realidade dos determinismos em jogo.

Trata-se de uma reconfiguração narrativa inscrita em um esquema inteligível do que constitui o quadro ideal de uma sociedade: a história que ela mesma conta; inconscientemente, como você especifica mais tarde, mas também com frequência deliberadamente, porque apologético ou simplesmente justificativo. Sobre esse assunto, vamos pensar na vitória da liberdade * sobre o nazismo: as coisas são muito menos simples do que esse enunciado lisonjeiro e, para superar as forças do Eixo, era necessário recorrer aos mesmos meios. , aumentou. Reconhecidamente, o nazismo foi derrotado, mas muito do que se queria Hitlerrápido demais e brutalmente acabou por estender seu domínio sobre o mundo de forma tão sorrateira que não se apresenta mais como um adversário identificável, clara e diretamente.
Você escreve:
De minha parte, defendo uma tese pessimo-realista: considero que a mania da causa animal, que se desenvolve através do movimento vegano, está, na verdade, alinhada com o desenvolvimento sustentável.

Eu entendo seu ponto de vista, mas dada a pluralidade de opiniões sobre uma infinidade de assuntos, inevitavelmente sempre haverá certos movimentos que podem ser desafiados em seu corpo defensor e de boa fé. A instrumentalização é sempre possível, seja o que for que você faça. Exnihiloest alegou que alguém era responsável pelas idéias propagadas, seja qual for o uso posterior dele: se ele estava certo (o que Deus proíbe! :D ), isso proibiria ipso facto qualquer forma de expressão ...

* Termo que elegantemente escapa ao fundo geopolítico ... 8)
0 x
"Não acredito que acima de tudo que eu te digo."
Janic
especialista Econologue
especialista Econologue
mensagens: 6461
Inscrição: 29/10/10, 13:27
Localização: Borgonha
x 87

Re: 6 om extinção

não lu mensagempela Janic » 01/07/18, 08:59

Olá
De minha parte eu defendo uma tese pessimo-realista: eu considero que a mania pela causa animal se desenvolve através do movimento vegano está realmente alinhada com o desenvolvimento sustentável.
Em parte apenas! Para trocar no seu forumCom estes veganos, podemos perceber que, além de uma consciência real, e assim, procurar realizar em sua vida essa consciência, vemos que eles oferecem principalmente uma espécie de idealização e, portanto, de pertencer a outro tipo de "elite" confrontado com uma forma de obscurantismo entre aqueles que compartilharam esse obscurantismo não muito tempo atrás. (a maioria dos prosélitos são novos convertidos, como de costume)
Isso não é específico porque encontramos esse comportamento em todos aqueles que fazem uma descoberta que pode, e algumas vezes, perturbará suas vidas.
A próxima contração das economias dos países industrializados nas primeiras horas levará a uma redução no consumo de carne,
Eu não acho que isso esteja ligado, pelo menos exclusivamente, à economia industrial. Já este consumo está relacionado a dois fatores principais que são a progressão social e os meios financeiros que ela concede e, por outro lado, à explosão exponencial da humanidade. Mas cada uma, separadamente, não é suficiente para levar ao que inevitavelmente nos aguarda, exceto consecutivamente a um colapso da indústria, por exemplo, e seu retorno a uma miséria anterior, ou um colapso da população mundial por n qualquer processo como uma guerra total, uma fome, qualquer patologia (os cânceres são um pouco lentos demais para chegar até lá!)
o movimento vegano me parece ser uma maneira inteligente de vestir essa transformação, da mesma forma que o fim do tráfico negreiro de escravos se vestia humanamente em favor de um novo modelo econômico.
É possível, mas isso implicaria uma vontade externa ao próprio movimento, que eu não percebi de qualquer maneira óbvia em qualquer caso. Eu penso mais em uma consciência real, mesmo com falta de jeito, individual e se espalhando, não como um ideal de vida (sobre este assunto, haveria muito a dizer), mas sim como um raz a tigela de uma sociedade. tendo espelhado, com as cotovias que somos, um futuro brilhante com precisão.
espelho de cotovia (Figuré) Atraente mas enganosa.
Encontramos a mesma abordagem (às vezes na mesma, mas nem sempre) para uma medicina holística mais humanista, como H, medicina alternativa, para um alimento mais saudável ou orgânico (incluindo o VG), etc ... Mas isso não representa e ainda representará apenas uma minoria no mundo, porque na verdade existem grandes interesses industriais, mas também atavismo, a chamada cultura ancestral (geralmente superestimada), mas também e especialmente o fato de que as empresas disseram em Os cursos de desenvolvimento também têm o desejo (e não a necessidade) de mostrar seu acesso a um nível social mais elevado e, assim, enfatizar esse estado recente através de uma demonstração de seu potencial financeiro e que, de acordo com os modelos ocidentais, consiste essencialmente em fazer como o mais rico, o parvenus, que também passou por esta fase de imitação dos outros que eram principalmente com os nobres, os burgueses, suficientemente bem para oferecer muitos pratos de carne.
Assim, mesmo que nossas sociedades ocidentais se tornassem VG e até veganas, isso dificilmente mudaria a situação no nível global.

* A patologia pode, neste caso, ser descrita como uma reação saudável, mas não pode se expressar contra a violência e que se volta contra a vítima: a dupla penalidade! :(
muito bem visto! Todas as patologias são reações contra si mesmo, o indivíduo está cansado de seu ser, isto é, suas escolhas, seus pensamentos, suas ações, mal direcionadas.
** E genes tão próximos ou, como hoje substituem genes: a pátria, religião ou alguma crença que une um grupo (torcedor de um clube de futebol! :D ).
atenção perigo, :mal: o futebol é mais importante que todo o resto! : Shock:
Dernière édition par Janic o 01 / 07 / 18, 09: 11, 1 editada uma vez.
0 x
"Nós fazemos ciência com fatos, como é uma casa com pedras, mas uma acumulação de fatos não é mais uma ciência do que um monte de pedras é uma casa" Henri Poincaré
"Ausência de evidência não é evidência de ausência" Exnihiloest
Ahmed
especialista Econologue
especialista Econologue
mensagens: 7197
Inscrição: 25/02/08, 18:54
Localização: Borgonha
x 524

Re: 6 om extinção

não lu mensagempela Ahmed » 01/07/18, 09:09

Janic, Você escreve:
Eu não acho que isso esteja ligado, pelo menos exclusivamente, à economia industrial. Já este consumo está relacionado a dois fatores principais que são a progressão social e os meios financeiros que ela concede e, por outro lado, à explosão exponencial da humanidade.

Esta frase é contraditória: tanto o crescimento demográfico quanto os avanços temporários nos padrões de vida provêm da economia industrial e, portanto, necessariamente flutuam com ela ...
O exponencialismo econômico favorece as soluções mais caras para maximizar lucros e dissipação de energia. A suspensão desse desenvolvimento significaria o retorno / recurso a práticas mais razoáveis, pela força das coisas *.

* Portanto, "razoável" aqui é apenas uma figura de linguagem e deve ser colocado entre aspas, pois somente os determinismos terão a capacidade de uma modificação geral de nossos comportamentos. A característica do homem parece bem esta capacidade extraordinária para imaginar problemas dos quais ele não tem a solução ... : Roll:
0 x
"Não acredito que acima de tudo que eu te digo."

Avatar de l'utilisateur
sen-no-sen
especialista Econologue
especialista Econologue
mensagens: 5823
Inscrição: 11/06/09, 13:08
Localização: Alta Beaujolais.
x 283

Re: 6 om extinção

não lu mensagempela sen-no-sen » 01/07/18, 10:11

Imagem

Como pode ser visto no gráfico, o consumo de carne é maior na França para 1998.
Este ano teria simbolizado uma consciência da condição animal?
De fato, na verdade, o consumo de carne de mamíferos não decresce devido a dois fatores: o aumento dos preços, mas também por causa da crise de saúde da vaca louca (1986 / 2000), os dois fenômenos sendo relacionados.
Consumo de aves continua em ascensão ...
Imagem

Imagem
0 x
"Genius, por vezes, consiste em saber quando parar" Charles De Gaulle.
Janic
especialista Econologue
especialista Econologue
mensagens: 6461
Inscrição: 29/10/10, 13:27
Localização: Borgonha
x 87

Re: 6 om extinção

não lu mensagempela Janic » 01/07/18, 12:59

Como pode ser visto no gráfico, o consumo de carne é maior na França para 1998.
Este ano teria simbolizado uma consciência da condição animal?
De fato, na verdade, o consumo de carne de mamíferos não decresce devido a dois fatores: o aumento dos preços, mas também por causa da crise de saúde da vaca louca (1986 / 2000), os dois fenômenos sendo relacionados.
Consumo de aves continua em ascensão ...

Absolutamente! Mas em relação à França em particular.
Mas o consumo de animais é um problema global, onde o fenômeno é o oposto. Os chamados países em desenvolvimento aumentam seu consumo, certamente melhorando seus meios financeiros (tão baixos quanto eles são) mas também e acima de tudo porque representa uma forma de ascensão social onde as famílias sacrificam certos alimentos mais úteis para o consumo. vantagem deste modelo especialmente ocidental (o sonho americano) .Isso é visto pelo declínio dos preços e qualidade de frutas e legumes (por supermercados) para permitir que as casas para comprar este símbolo social.
O que não parece entender é que a diminuição (relativa) da violência durante o século XNIXXème está diretamente correlacionada com o aumento dessa mesma violência em direção à biosfera, trata-se de uma transferência.

De fato, o indivíduo constantemente faz transferências quando não pode (por razões sociais governadas pelas leis) agir diretamente pela violência. De onde saem os jogos circenses, as touradas, as caçadas onde o indivíduo esvazia sua agressividade demais nos outros. Mas este é também o caso dos matadouros, onde esta violência já não pode ser vista em plena luz do dia, por várias razões levantadas pelos opositores de qualquer forma de assassinato.

Os chineses e outros, queimam a efígie de seus "líderes" para libertar-se de seu transbordamento e, assim, para retornar "em paz" ao trabalho escravo.
Portanto, essa extinção depende diretamente do crescimento populacional, muito mais do que da industrialização de nossas sociedades afluentes, que não são representativas das sociedades deste mundo. Assim, o gado terá que dedicar mais de 70% de terras agrícolas para alimentação animal por 2050 (que é amanhã) e então onde eles encontrarão a terra para permitir, se não rasparem algumas florestas adicionais onde desenhar em terras agrícolas para uso alimentar humano. É um círculo vicioso! : Shock:
0 x
"Nós fazemos ciência com fatos, como é uma casa com pedras, mas uma acumulação de fatos não é mais uma ciência do que um monte de pedras é uma casa" Henri Poincaré
"Ausência de evidência não é evidência de ausência" Exnihiloest
dede2002
Grande Econologue
Grande Econologue
mensagens: 790
Inscrição: 10/10/13, 16:30
Localização: campo de Genebra
x 79

Re: 6 om extinção

não lu mensagempela dede2002 » 01/07/18, 15:39

Ahmed escreveu:...

Dédé2002, Você escreve:
Além disso, a "máquina tecnológica", que também se apresenta como substituta da substituição, também terá problemas para sobreviver sozinha.

De um ponto de vista atual, certamente, mas a dinâmica de artificialização encoraja a pensar que uma reversão estaria na lógica subjacente à destruição do vivo e levaria a uma autonomização das máquinas dentro de um mundo tecomecânico * do qual a espécie humana, vetor temporário, se torne inútil, desapareceria por sua vez.

* Uma tecnosfera, para usar, penso eu, a terminologia de Sen-no-sen.


A "tecnosfera" que você descreve provavelmente será também um vetor temporário ... Mas não estaremos aqui para vê-lo :P
0 x
dede2002
Grande Econologue
Grande Econologue
mensagens: 790
Inscrição: 10/10/13, 16:30
Localização: campo de Genebra
x 79

Re: 6 om extinção

não lu mensagempela dede2002 » 01/07/18, 15:45

dede2002 escreveu:Mas o "substituto" não poderia sobreviver sozinho, sem as outras espécies ...

Além disso, a "máquina tecnológica", que também se apresenta como substituta da substituição, também terá problemas para sobreviver sozinha.

Quanto às cinzas, as recomendações atuais não são para matar as árvores doentes, na esperança de que algumas desenvolvam resistência e possam transmiti-las aos seus descendentes.


No que diz respeito a nossa espécie, composta principalmente de organismos modificados memeticamente, as recomendações atuais são de (não) especialmente (não) cortar os indivíduos rebeldes, na idéia de que alguns desenvolverão uma resistência e serão capazes de transmiti-los à sua descendência ...
1 x
Ahmed
especialista Econologue
especialista Econologue
mensagens: 7197
Inscrição: 25/02/08, 18:54
Localização: Borgonha
x 524

Re: 6 om extinção

não lu mensagempela Ahmed » 01/07/18, 18:20

Janic, Você escreve:
Assim, essa extinção depende diretamente do crescimento populacional, muito mais do que da industrialização de nossas sociedades afluentes, que não são representativas das sociedades deste mundo.

É claro que não desconheço o fator que a rivalidade memética representa, mas não poderia ser expressa sem a industrialização da agricultura, que se desdobra como uma continuação lógica da indústria convencional. Essa forma de industrialização pode reduzir os custos de produção até coincidirem com o aumento significativo do poder de compra nesses novos países, ávidos por copiar o modelo ocidental dominante.
0 x
"Não acredito que acima de tudo que eu te digo."




  • tópicos similares
    Respostas
    Visualizações
    mensagem dernier

Voltar a "desastres humanitários, natural, climático e industrial"

Quem está online?

Usuários navegando neste forum : Nenhum usuário registrado e convidado 1