Inovações para reduzir o consumo de combustíveis fósseisPadrão de vida, aceitabilidade, necessidade de energia (grátis ou não)

Inovações, idéias ou de patentes para reduzir o consumo de energia fóssil, por exemplo, vento novo, novos painéis solares, sistema geotérmico evoluiu ...
Avatar de l'utilisateur
eclectron
especialista Econologue
especialista Econologue
mensagens: 1844
Inscrição: 21/06/16, 15:22
x 199

Padrão de vida, aceitabilidade, necessidade de energia (grátis ou não)

não lu mensagempela eclectron » 28/09/20, 09:44

Nota de Rémundo: Assunto criado em um debate inicial entre Ahmed e Eclectron de Energia grátis por Christophe Tetard
Ahmed escreveu:Dissonância cognitiva banal, visto que lutamos para representar para nós mesmos algo diferente do que existe na pequena janela de tempo que é nossa e que, no entanto, é apenas uma fase muito temporária ... É tanto mais significativo que temos a tendência de extrapolar uma linearidade de eventos que se justifica apenas em períodos curtos.


Na psicologia social, a dissonância cognitiva é a tensão interna inerente ao sistema de pensamentos, crenças, emoções e atitudes (cognições) de uma pessoa, quando vários deles entram em conflito uns com os outros.

Minha pergunta continua sendo uma contradição entre o quê e o quê?


Eu concordo prontamente que "minhas" (nossas) preocupações estão ligadas à nossa cultura atual, ligadas ao conforto que os combustíveis fósseis carbonosos nos trouxeram, eu concordo prontamente que essas são preocupações dos "ricos".
A tribo da floresta não tem essas preocupações.
Ok, agora se existem soluções para ser todos "ricos", digamos todos com um certo nível de conforto, por que se privar disso ... desde que não prejudique mais, ou melhor, menos, a biosfera.

Eu claramente não vejo nenhuma dissonância (contradição). Você tem que se explicar lá!

A única contradição que vejo é que atualmente não temos essa fonte de energia limpa, abundante e tão facilmente utilizável quanto os combustíveis fósseis carbonosos.
Eu acho que seu verso de energia em qualquer forma = crescimento = destruição do biótopo.
Conseguimos, não precisamos continuar.
0 x
"a festa acabou" Yves Cochet

Ahmed
especialista Econologue
especialista Econologue
mensagens: 9450
Inscrição: 25/02/08, 18:54
Localização: Borgonha
x 990

Padrão de vida, aceitabilidade, necessidade de energia (grátis ou não)

não lu mensagempela Ahmed » 28/09/20, 10:58

Eu acho que seu verso de energia em qualquer forma = crescimento = destruição do biótopo.

A disponibilidade de energias abundantes e baratas, tendo levado à situação atual, colocando como pré-requisito uma fonte substituta para o esgotamento dos recursos, dificilmente está indo na direção do que você deseja. O fato de você supor uma reorientação dos objetivos para a finalidade humana não muda muito na realidade; mas vamos esquecer isso: a verdadeira questão é qual nível é desejável e qual nível seria possível? É muito difícil responder a essa pergunta simples; Você parece pensar que é o nível atual, mas por que não claramente abaixo, ou até um pouco mais (porque se esperar, você se alinhará com o new deal?). Mais fundamentalmente, "padrão de vida" é o conceito correto?
0 x
"Não acredito que acima de tudo que eu te digo."
Avatar de l'utilisateur
Remundo
mediador
mediador
mensagens: 9436
Inscrição: 15/10/07, 16:05
Localização: Clermont Ferrand
x 515

Re: padrão de vida, aceitabilidade, necessidade de energia (grátis ou não)

não lu mensagempela Remundo » 28/09/20, 13:06

para resumir, Electron defende posições de "conforto" que obviamente requerem energia, e parcialmente justifica sua atração por pesquisas de "energia livre" que seriam um meio de liberar predação / degradação no meio ambiente enquanto satisfazem necessidades humanas.

Ao contrário, Ahmed castiga o consumismo moderno (em conexão com o extrativismo) e sua necessidade irreprimível de energia. Ele defende uma diminuição em direção a um modo de vida mais sóbrio, pois para ele, a energia livre seria possivelmente uma extensão das predações sobre o meio ambiente (o que é defensável porque energia é a capacidade de mudar o estado de ambiente, e mesmo que a energia seja gratuita, os materiais que ela pode utilizar em um sistema consumista não necessariamente o serão).

Entre os dois, estabeleceu-se um início de debate para localizar o limite aceitável entre a manutenção do conforto e a predação moderada ... com "energia livre" que pairaria acima.

A resposta será confusa, com certeza ... mas os conceitos são interessantes. bem vale mais do que os intermináveis ping pong ao con dos grandes doutores recém-formados pela Econologia-Academie.
2 x
ImagemImagemImagem
Avatar de l'utilisateur
Christophe
mediador
mediador
mensagens: 54850
Inscrição: 10/02/03, 14:06
Localização: planeta Serre
x 1644

Re: padrão de vida, aceitabilidade, necessidade de energia (grátis ou não)

não lu mensagempela Christophe » 28/09/20, 13:30

Ahmed está socialmente certo ... mesmo que, cientificamente, a opinião do elétron seja interessante ...

Clarck disse que a energia livre aplicada em grande escala dissiparia tantos joules na Terra que induziria um aquecimento global incontrolável ... em alguns anos ...

Portanto, o aspecto de reduzir a pressão sobre o meio ambiente graças à energia gratuita não é um dado ... longe disso!
1 x
Ce forum ajudou você? Ajude-o também para que ele possa continuar ajudando os outros - VAMOS MELHORAR NOSSAS TROCAS NO FÓRUM - Publicar um artigo sobre Econologia e Google Notícias
ABC2019
especialista Econologue
especialista Econologue
mensagens: 3081
Inscrição: 29/12/19, 11:58
x 170

Re: padrão de vida, aceitabilidade, necessidade de energia (grátis ou não)

não lu mensagempela ABC2019 » 28/09/20, 14:39

apenas um pequeno detalhe de vocabulário: a energia livre é perfeitamente definida na termodinâmica e não é de forma alguma uma energia "infinita". Existe energia livre em qualquer fonte de energia: é a quantidade de energia que pode ser transformada em trabalho. Para energia mecânica como a eólica, a priori é 100%, mas para energia térmica, a eficiência de Carnot deve ser levada em consideração. Em suma, é um conceito bem definido (na verdade é a entalpia livre que é realmente relevante, que é o trabalho disponível "diferente do das forças de pressão", portanto com o termo p∆V adicional, mas é um detalhe).

Exceto que há uma sutileza linguística que afeta os anglo-saxões, mas não os franceses, é que "energia livre" normalmente se traduz como "energia livre" ... mas que em inglês "livre" significa também "livre", e assim os anglo-saxões ouvem "energia livre", também ouvem "energia livre" e fantasiam profundamente sobre ela. O que é obviamente falso porque a energia livre não é de forma alguma "livre".

A ambigüidade não existe em francês, mas como quem nada sabe de física traduz apenas os sites anglo-saxões que deliram sobre "energia livre", falam de energia livre sem entender o que é. significa ...
0 x

Avatar de l'utilisateur
Christophe
mediador
mediador
mensagens: 54850
Inscrição: 10/02/03, 14:06
Localização: planeta Serre
x 1644

Re: padrão de vida, aceitabilidade, necessidade de energia (grátis ou não)

não lu mensagempela Christophe » 28/09/20, 14:45

ABC2019 escreveu:Para energia mecânica como a energia eólica, a priori é 100%


Uh e o que você faz com o limite de Betz ??? : Shock: : Shock: : Shock:

A única conversão de energia com 100% de eficiência é a química-calor ... e novamente, se estamos falando de energia útil, depende do dispositivo : Cheesy:

Caso contrário, concordo perfeitamente com o resto ...
1 x
Ce forum ajudou você? Ajude-o também para que ele possa continuar ajudando os outros - VAMOS MELHORAR NOSSAS TROCAS NO FÓRUM - Publicar um artigo sobre Econologia e Google Notícias
Avatar de l'utilisateur
Remundo
mediador
mediador
mensagens: 9436
Inscrição: 15/10/07, 16:05
Localização: Clermont Ferrand
x 515

Re: padrão de vida, aceitabilidade, necessidade de energia (grátis ou não)

não lu mensagempela Remundo » 28/09/20, 14:50

sim, claro, aqui o termo "energia livre" nada tem a ver com os potenciais termodinâmicos que exigiriam vários anos de aulas para serem bem compreendidos.

Note que em francês falamos de energia "livre", uma palavra que nunca apreciei muito, é a energia de Helmholtz F = U - TS
para quem quer esfregar um pouco: https://fr.wikipedia.org/wiki/Potentiel_thermodynamique
mas permanece muito obscuro para os não iniciados.

Portanto, neste assunto, "energia livre" designa o movimento dos pensadores da superunidade que esperam extrair "livremente" uma energia desconhecida das experiências terrestres.
1 x
ImagemImagemImagem
Avatar de l'utilisateur
Remundo
mediador
mediador
mensagens: 9436
Inscrição: 15/10/07, 16:05
Localização: Clermont Ferrand
x 515

Re: padrão de vida, aceitabilidade, necessidade de energia (grátis ou não)

não lu mensagempela Remundo » 28/09/20, 14:51

Christophe escreveu:
ABC2019 escreveu:Para energia mecânica como a energia eólica, a priori é 100%


Uh e o que você faz com o limite de Betz ??? : Shock: : Shock: : Shock:

A única conversão de energia com 100% de eficiência é a química-calor ... e novamente, se estamos falando de energia útil, depende do dispositivo : Cheesy:

Caso contrário, concordo perfeitamente com o resto ...

há um muito estúpido: o aquecedor elétrico: 100% de conversão eletricidade-calor

o mesmo quando você esfrega algo mecânico-> Calor 100% (por exemplo, os freios de um carro, ou mesmo seu c ...... bem, eu saio :flecha: :P )
0 x
ImagemImagemImagem
Avatar de l'utilisateur
Christophe
mediador
mediador
mensagens: 54850
Inscrição: 10/02/03, 14:06
Localização: planeta Serre
x 1644

Re: padrão de vida, aceitabilidade, necessidade de energia (grátis ou não)

não lu mensagempela Christophe » 28/09/20, 15:04

Sim mas não porque estamos falando de energia primária ... portanto, um aquecedor elétrico está muito longe de ter 100% de eficiência ...

Para atrito semelhante: para colocar em movimento foi necessário gastar mais energia primária do que vamos recuperar ... (10 a 20% da energia primária de um veículo térmico passa pelos freios ... e isso para travagem de emergência!)

Além disso, a conversão movimento-calor raramente é uma energia útil (bom, ok, exceto em casos raros, como esfregar o C ... isso é útil !!! : Cheesy: : Cheesy: ) ...

Existe um nome para energia "perdida" que não sei mais como dizer ... Acho que "energia final"? Tá longe ...
0 x
Ce forum ajudou você? Ajude-o também para que ele possa continuar ajudando os outros - VAMOS MELHORAR NOSSAS TROCAS NO FÓRUM - Publicar um artigo sobre Econologia e Google Notícias
Rajqawee
boa Éconologue!
boa Éconologue!
mensagens: 354
Inscrição: 27/02/20, 09:21
Localização: Córsega
x 99

Re: padrão de vida, aceitabilidade, necessidade de energia (grátis ou não)

não lu mensagempela Rajqawee » 28/09/20, 15:17

Oh, então vamos falar sobre filosofia, na verdade.

Minha opinião pessoal é que precisamos dos dois pontos de vista (vamos chamá-la de posição de "conforto necessário" e de posição de "sobriedade"), porque as duas não são feitas ao mesmo tempo. Estou tentando estruturar tudo.

Na verdade, devemos definir quais são as necessidades humanas em termos de conforto (ou seja, em termos da capacidade de transformar o meio ambiente).

Pode-se ficar tentado a responder com uma posição absoluta, que é que, na verdade, os humanos não precisam de quase nada. Já fizemos isso, cerca de 45 anos atrás (e antes), vivendo como caçadores-coletores. Funciona e vivemos. Bem. Mas não éramos muito numerosos como humanos e, além disso, não sabíamos de mais nada.
Sim, porque também temos o problema da adaptação hedonística: embora este nível de conforto nos pareça banal (por exemplo, apertamos um botão e a luz está lá), nem sempre esteve. Mas, de repente, parece-nos hoje uma necessidade. Uma necessidade ... de ser feliz.
Vamos ser claros - e isso é o que vejo nas pessoas - uma vez que você experimentou um nível de conforto, naturalmente, voltar para "menos conforto" geralmente é uma experiência muito ruim.

Bem, daí para dizer que conforto = felicidade, haveria apenas um passo. Mas esta é uma pista falsa, e nós sabemos disso. As pessoas sentadas mais confortavelmente não são especialmente mais felizes do que as outras (de novo, adaptação hedonística!). Em qualquer caso, não por muito tempo.
Além disso, muitas pessoas se colocam voluntariamente em situações de total desconforto, para seu ... prazer (esporte!). Como o quê, podemos perder o conforto e achá-lo interessante. Até brincando!

Mas aí é um pouco estúpido: perder o conforto é ser menos feliz, mas tê-lo, isso não serviria muito mais. Para mim, isso é ... exatamente isso! É sintomático de um vício. Você não pode viver sem ele, mesmo que tomá-lo não lhe dê realmente prazer. Como sociedade, somos viciados em conforto (de repente, em energia). Freqüentemente, também individualmente.
No entanto, se você é viciado, de repente ficar sem aquilo em que é viciado é um risco e tanto. Isso criou tensões extremas. Como se costuma dizer, muitas vezes é melhor se desligar.

Então, na verdade, precisamos de ambas as visões: ao mesmo tempo, precisamos de conforto porque todos dependemos dele (e, acima de tudo, nossas sociedades dependem muito dele). Mas, ao mesmo tempo, precisamos limitar o uso dele, porque se torna prejudicial. E, para isso, seria especialmente necessário pedagogia para ensinar às pessoas que a corrida pelo conforto não leva especialmente à felicidade.

Este é o caminho que venho trilhando há 10 anos (muitos chamam de minimalismo), que considero lógico e consistente com a ecologia, é "divertir-se muito gastando menos" (energia. Não dinheiro. mas muitas vezes dá no mesmo).

Ok, o pavimento está muito bom, mas qual o nível de conforto que mantemos? Esse é o destino, e ninguém sabe, pois também é mutável! Como indivíduo, já "sacrifiquei" muito mais conforto do que provavelmente teria aceitado quando comecei o caminho. Porque naquela época, comecei muito mais longe.
As nossas sociedades terão ainda mais dificuldade em definir este nível de conforto "desejado", porque será mais complexo. Uma coisa é "certa" para mim, é que sabemos por enquanto em que direção devemos ir: menos consumo.

E, de fato, esse é o ponto crucial, penso: entender, e fazer entender, que boa parte do nosso conforto é prejudicial, então por que não deixá-lo ir? Não só seremos mais felizes, mas, além disso, seremos menos prejudiciais ao meio ambiente.


Finalmente, energia livre ou livre: ela permanecerá energia. Ainda é a transformação do meio ambiente. Não muda, eu acho, nada no problema acima.
2 x


Voltar para "Inovações para reduzir o consumo de combustíveis fósseis"

Quem está online?

Usuários navegando neste forum : Não há usuários registrados e convidados 2