injeção de água em motores: montagens e experimentosvapor dopado

Edições e alterações aos motores, experiências, descobertas e idéias.
Avatar de l'utilisateur
Flytox
mediador
mediador
mensagens: 13913
Inscrição: 13/02/07, 22:38
Localização: Bayonne
x 577

Re: Doping no vapor

não lu mensagempela Flytox » 10/11/19, 22:40

kistinie escreveu:Motores de aeronaves recentes não têm nada a ver com motores mais antigos. Por exemplo, eles usam filtros de vórtice e tratamento EM de combustível.


Especialmente os motores mais recentes são mais otimizados em todos os rendimentos parciais de entrada de ar, compressor, retificadores, turbinas quentes e livres, distribuidores, câmara de combustão, injetores, materiais refratários, computadores, vários acessórios, etc. No final, os motores recentes são mais eficientes em termos de consumo e poluição. Tudo isso tornado possível pelo poder de computação cada vez maior, software cada vez mais eficiente, permitindo simulações cada vez mais finas e, portanto, redimensionamento mais adequado / eficiente.
Até onde eu sei, não há nada de especial em motores recentes para o "tratamento" de combustível que é filtrado, pressurizado, pré-aquecido, medido, medido etc ... da maneira mais clássica / normal / otimizada, como em os motores da geração anterior.

Filtros de vórtice, sim e daí?

E, novamente, se não funcionasse, eu não teria sido capaz de obter declínios significativos em meus veículos. Meu Golf6 TDI2.0, apenas com tratamento magnético, estava em 5,1L / 100 em 130 e 4,2 em 80Km / h. Menos que os dados do fabricante do formulário de homologação.


Não, se sua queda no consumo vier de "processamento magnético", mas o que eu sei é que, depois de anos de medições de consumo no meu R19 Gillier Pantonisée, fiz um resumo das medições de consumo e calculei a margem erro ... que era muito maior do que o esperado ... dentro de 10% :(
Desde então, sou cauteloso com minhas medições e regularmente faço novos testes para verificar se todos os parâmetros foram bem controlados.
Você pode facilmente fazer um novo teste duplo-cego. Você começa sem saber se uma terceira pessoa removeu ou deixou os ímãs no lugar. Você repete a medição X vezes na mesma viagem, mesmo número de km, mesmo motorista, mesma pressão de pneu, mesma velocidade de carga, mesmo tráfego, mesma condição de tempo / estação, até tanque cheio, etc. ... e compara os resultados.

Quanto à modulação da produção de vapor, com meus nebulizadores, não existe. O regulamento é exatamente o do alto deslocamento e do alto torque em baixa velocidade, que permite circular em baixa velocidade, com baixa carga, para mudar as velocidades para 1500Tr / mn.

Bad ....
A produção de névoa é "constante", enquanto os parâmetros do motor variam significativamente em operação (fluxo de ar, fluxo de combustível, pressão, temperatura, velocidade do motor, PME etc ...). Quando a névoa produzida melhora / deteriora o desempenho e como é quantificada?
0 x
A razão é a loucura do mais forte. A razão para o menos forte é loucura.
[Eugène Ionesco]
http://www.editions-harmattan.fr/index. ... te&no=4132




  • tópicos similares
    Respostas
    Visualizações
    mensagem dernier

Voltar a "injecção de água nos motores: a montagem e experimentação"

Quem está online?

Usuários navegando neste forum : Não há usuários registrados e convidados 4