As razões do boom do petróleo ...

Como você explica essa explosão nos preços do petróleo?

Em primeiro lugar, é preciso diferenciar entre o curto e o longo prazo. Alguns analistas dizem que se os preços estão subindo é porque não há mais petróleo.

No entanto, se precisamente eles estão em chamas hoje, é porque um furacão está devastando o Golfo do México. No curto prazo, a alta do preço do petróleo se deve a uma combinação de fenômenos: crescimento da demanda mundial, redução dos estoques, subinvestimento. A médio prazo, ou seja, quatro ou cinco anos, a incerteza reside na resposta da oferta e da procura aos níveis de preços mais elevados hoje observados. É apenas a longo prazo que um problema de recursos pode ser considerado. No curto prazo, o problema é que há dois a três anos, estamos enfrentando um aumento contínuo da demanda, enquanto a oferta não aumenta a uma taxa equivalente. O resultado é uma erosão da capacidade de produção disponível dos países da OPEP: esse excesso de capacidade caiu de 5% do consumo mundial em 1990 para 2% hoje. Também podemos destacar as tensões ao nível do refino. Ao menor incidente, há um problema com o descarte do produto. O clima internacional tenso está causando pressão sobre os preços. Quanto a até onde esse aumento pode ir, acredito que os números anunciados por alguns - até US $ 300 - estão completamente fora do comum. O que está claro é que o mercado reage muito rapidamente. O furacão Katrina pesa fortemente no mercado hoje, como o anúncio de possíveis ataques na Arábia Saudita há duas semanas. E uma desaceleração da demanda pesaria sobre os preços na direção oposta.

Leia também:  Co-voiturage lança petição para a legalização do HVB

Que soluções existem para lidar com essa explosão de preços?

Tudo o que pode levar à economia de energia está na direção certa. Todas as resoluções dos últimos anos foram esquecidas e o desperdício deve ser reduzido. Por exemplo, esquecemos que o uso de ar condicionado nos carros resulta em aumento do consumo de gasolina. No que diz respeito a uma possível reintrodução do TIPP flutuante, creio que esta não é a solução adequada se queremos reduzir a dependência da França do petróleo. Se o aumento dos preços cria problemas sociais, eles devem ser enfrentados, mas de outras maneiras.

Esse aumento no preço do petróleo não relança o debate sobre energias renováveis?

O petróleo é amplamente consumido no transporte. 95% do consumo de energia do setor de transporte provém do petróleo e não há alternativa significativa até o momento. Certamente podemos usar biocombustíveis ou energia elétrica, mas isso ainda é pequeno.

Leia também:  VELOVENT: um sistema de transporte visionário para aglomerações urbanas

Fonte: 6clones

Deixe um comentário

Seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios estão marcados com *