rejeitos ouro verde da mineração

Considerado há muito tempo um problema ambiental, o desperdício de rochas da mineração poderia de fato ajudar a combater o aquecimento global absorvendo parte dos gases responsáveis ​​pelo efeito estufa responsáveis ​​pelas mudanças climáticas. Greg DIPPLE, professor do Departamento de Ciências da Terra e dos Oceanos da Universidade da Colúmbia Britânica, estudou a capacidade desses resíduos de rocha de capturar permanentemente o dióxido de carbono (CO2).

Segundo ele, esse fenômeno, natural na escala dos tempos geológicos, se manifestaria muito mais rapidamente em resíduos ricos em silicatos de magnésio, como os das minas de níquel, diamantes, crisolita, platina e os de certas minas de ouro. O processo de carbonatação mineral permite que o CO2 dissolvido na água da chuva reaja com a sílica na superfície da rocha. A DIPPLE acredita que é possível reter nesse resíduo todo o CO2 produzido pela própria operação de mineração, transformando essa indústria em uma indústria limpa em termos de emissões de gases de efeito estufa. é muito rápido em alguns sites, quase imperceptível em outros.

Leia também: Dois livros de vigilância tecnológica

O próximo passo na pesquisa é modelar o processo e entender como melhorar a taxa de absorção de CO2, a um custo viável para os operadores de minas. De fato, parece que a eficiência da absorção de dióxido de carbono varia de acordo com os meios utilizados no tratamento de rejeitos de minas.Embora céticos a princípio, as empresas de mineração estão começando a se interessar pelo assunto.

Contatos:
- Assuntos públicos da UBC:
public.affairs@ubc.ca
Fontes: University of British Columbia, relata, 10 / 01 / 2005
Editor: Delphine Dupre, Vancouver,
attache-scientifique@consulfrance-vancouver.org

Deixe um comentário

Seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios estão marcados com *