Projeto de subdivisão ecológica na Bretanha

O município de Silfiac (Morbihan) lançará a primeira pedra de sua subdivisão ecológica em junho, uma originalidade adotada por vários municípios bretões que, para seduzir e satisfazer os recém-chegados, buscam desenvolver um novo projeto de vida.

“A iluminação pública será inteligente e acenderá graças a um detector de presença, as lâmpadas economizarão energia e produzirão luz ambiente”, explica Serge Moëlo, o prefeito da cidade. “A estrada será semiporosa para permitir a absorção de 40% da água do escoamento e serão enterradas cisternas de 7.000 litros em cada uma das parcelas para garantir a recuperação das águas pluviais, que serão utilizadas para abastecimento das descargas. , escolhido em duas velocidades para a economia ”. O prefeito até queria levar a experiência mais longe, deixando o corte da grama que faz fronteira com a futura subdivisão de "ovelhas Ouessant". Vários municípios bretões, localizados principalmente na região de Rennes e que estavam a perder força, embarcaram em operações semelhantes por iniciativa da Ademe (Agência para o Desenvolvimento e Gestão da Energia).

Leia também:  A vítima da camada de ozônio das tempestades solares de 2003

A cidade ao redor de Rennes planeja construir 22 casas individuais e 10 unidades de aluguel no modelo ecológico. Para evitar a armadilha da “cidade-dormitório”, esses projetos incorporaram espaços de convivência comuns, como hortas e churrasqueiras compartilhadas, mas também configurações viárias que favorecem becos sem saída para evitar o fluxo de veículos. Os dez municípios bretões que investiram em "subdivisões ecológicas" também querem que essas casas continuem a ser oferecidas a preços acessíveis, como em Langouet (Ille-et-Vilaine), que oferece aos seus compradores de primeira viagem empréstimos a juros zero. A Câmara Municipal de Silfiac declara assim a venda destas moradias com terreno por 100.000 euros, preços que se mantêm acessíveis graças ao financiamento de parte da operação por subvenções das autarquias locais e da Ademe.

The Gazette des Communes - 22/04/2005

Deixe um comentário

Seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios estão marcados com *