Seminário sobre os impactos ecológicos da energia eólica offshore

Uma reunião sobre o tema do uso da energia eólica offshore que reuniu 45 especialistas de ministérios regionais e federais, autoridades competentes e institutos de pesquisa foi realizada em 14 de abril de 2005 na Universidade de Lüneburg. (Baixa Saxônia).

Na verdade, os parques eólicos devem ser construídos na Zona Econômica Exclusiva (ZEE), ou seja, no Mar do Norte e no Báltico, fora da zona das 12 milhas náuticas. Como tal, e a pedido do Ministério Federal do Meio Ambiente (BMU), uma equipe de pesquisa está trabalhando sob a liderança de M. Schomerus, da Universidade de Lüneburg, M. Runge, do escritório Oecos Umweltplannung em Hamburgo e Sr. Nehls da empresa Bio Consult Schleswig Holstein, em um projeto de pesquisa intitulado “Revisão estratégica e previsão do impacto ecológico do uso de energia eólica offshore na ZEE”.

O seminário realizado em Lüneburg foi a oportunidade de apresentar os primeiros resultados a um público especializado. O tema atraiu muita atenção porque as audiências sobre o planejamento do território do ZEE começarão em breve em Hamburgo. De acordo com os objetivos do governo, a energia eólica offshore deve cobrir 2025% das necessidades de energia da Alemanha até 15. Isso representa um total de 25.000 megawatts, ou seja, 5.000 turbinas eólicas que deverão ser instaladas no Mar do Norte.

Leia também:  Aumento do petróleo: tratores aumentados no FR3 nacional

Os representantes do Escritório Federal de Hidrografia e Navegação Marítima (BSH - Bundesamt fur Hydrographie und Seeschifffahrt) em Hamburgo mostraram-se particularmente interessados ​​nos resultados da pesquisa.

No início foram discutidos todos os tipos de questões jurídicas, mas também questões muito práticas, como as consequências das turbinas eólicas na passagem de pássaros ou botos. Os efeitos sobre o meio ambiente nem sempre são negativos: por exemplo, a pesca industrial em parques eólicos não será mais possível, criando assim reservas naturais eficazes para os peixes.

Um dos temas centrais abordados foi a questão dos efeitos cumulativos resultantes da soma de várias influências. Esta avaliação não pode ser restringida ao nível nacional, deve ser realizada em cooperação com os outros Estados do Mar do Norte e do Mar Báltico. Os vários participantes concordaram que, juntamente com os procedimentos formais, a pesquisa, particularmente na área de efeitos cumulativos, deveria ser intensificada. O uso da energia eólica ainda está em sua infância.

Contatos:
- Henning Zuhlsdorff - Universidade de Lüneburg - tel: +49 4131 78 1007, fax
: +49 4131 78 1097 - email: zuehlsdorff@uni-lueneburg.de
Fontes: Depeche idw, comunicado à imprensa da Universidade de Lüneburg
Editor: Nicolas Condette, nicolas.condette@diplomatie.gouv.fr

Deixe um comentário

Seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios estão marcados com *