Seja cidadão: polua mais!

Outra prova da dependência da nossa sociedade em relação ao petróleo e ao duplo discurso dos políticos que levam seus concidadãos para os gogos.

Neste inverno, um período de teste para luzes diurnas de carros em todo o país ocorrerá de 30 de outubro de 2004 a 27 de março de 2005, a fim de ... aumentar a segurança do usuário.

No entanto, a própria Comissão Europeia abandonou o seu projeto de diretiva com o objetivo de introduzir esta medida em nível europeu em janeiro de 2001 e a operação de teste realizada em Landes desde 1998 não permitiu tirar conclusões sobre a relevância do esse projeto. Por outro lado, colocar em risco usuários mais fracos é muito real, é verdade. Desde 1975, os motociclistas dirigem com as luzes acesas para se identificarem facilmente no meio de outros veículos: eles perderão a visibilidade. Os ciclistas serão afogados no tumulto das luzes. Quanto aos pedestres, lembre-se de que os motoristas devem estar vigilantes e não os pedestres para se esconder ao se aproximar de um veículo! Todas as associações europeias de pedestres, ciclistas e motociclistas manifestaram sua oposição ao projeto. Mas então Por que o governo francês está tão interessado nessa medida?

Leia também: Air Car: cálculos e raciocínio no motor a ar

Porque um carro com os faróis acesos consome mais. Estima-se que 650 milhões de euros sejam devolvidos ao Estado por esse consumo excessivo, via TIPP. Nesta primavera, soubemos que o consumo de combustível dos franceses havia caído 1% no ano passado, uma perda líquida de 1 bilhão de euros para o Estado. Tivemos que compensar esse déficit. Já tínhamos passado as medidas de armadilha promovendo a compra de veículos menos gananciosos (notícias de 23/07), e agora ainda somos forçados a consumir e poluir mais!

Claramente, os lobbies não precisam mais pressionar. Nossos líderes se iludem quando pensam no curto prazo e escolhem os interesses do petróleo em vez de apostar na mudança.

PS: amigos motociclistas, não esqueça os dias de ação nos dias 18 e 19 de setembro. Conhecemos a sua solidariedade!

Deixe um comentário

Seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios estão marcados com *