A Suprimentos teto solar de veículos eléctricos.

A cidade de Besançon possui mais de 40 veículos elétricos. No domínio da gestão energética, a cidade de Besançon está já um passo à frente no número de veículos elétricos da sua frota (41), hoje dá um novo passo ao produzir eletricidade. eletricidade de origem solar para movimentar esses mesmos veículos.
“Uma das mais importantes instalações desta natureza na França”
345 m2 de painéis solares fotovoltaicos, o que faz com que seja uma das mais importantes instalações deste tipo na França, capte a luz do sol no telhado do Centro Técnico Municipal para convertê-lo diretamente em eletricidade, sem poluição ou produção de resíduos.
A cidade escolheu essa tecnologia por dois motivos.
- O primeiro consistia em produzir o equivalente ao consumo anual de cerca de trinta veículos elétricos municipais estacionados nas proximidades do edifício, ou seja, cerca de 40 kWh.
- A segunda correspondeu à sua vontade política de desenvolvimento sustentável e preservação do meio ambiente, pois a energia solar fotovoltaica apresenta qualidades ecológicas inegáveis: é limpa, silenciosa e inesgotável.
Uma produção anual de mais de 40 000 Kw
A instalação, constituída por módulos fotovoltaicos policristalinos 273, fornece um campo de 43,2 Kilowatts-peak (Kwc) e deve produzir anualmente cerca de 42 000 Kwh. A eletricidade gerada é convertida pela saída 7 de potência inversora 34 Kw, a ser distribuída aos padrões na rede de distribuição pública e revendida à EDF.
A vantagem de tal modalidade é produzir energia no ponto de demanda, superando os problemas de armazenamento. A produção é alimentada na rede e, durante os períodos de não produção (à noite), a eletricidade é retirada da rede para recarregar os veículos elétricos. O contrato foi concedido à empresa BP Solar. O custo de instalação é de 260 €. Isso foi possível graças ao apoio financeiro do Conselho Regional de Franche-Comté e da Agência de Gestão Ambiental e Energética de Doubs.

Leia também:  Suíça: nenhum imposto ecológico para os carros mais poluentes.

Fonte: nosso Planeta

Deixe um comentário

Seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios estão marcados com *