Total: cinco das seis refinarias francesas estão fechadas

PARIS - Duas das seis refinarias francesas da Total estão encerradas e outras três na "fase de paralisação". Este estado de coisas resulta da greve lançada pela CGT e pela CFDT para denunciar a abolição do feriado de Whit Monday na empresa.

O grupo petrolífero, principal refinador europeu, no entanto, garantiu que não haveria "a médio prazo" problemas de fornecimento para as 5626 estações de serviço (incluindo cerca de 2000 sob a marca Elan) que possui. França. O ministério da indústria indicou quinta-feira que "não havia risco de escassez no curto prazo".

No entanto, essa não é a opinião de Charles Foulard, representante do sindicato central da CGT. Com base nas informações coletadas em campo, ele garante que "alguns depósitos estão passando por suas últimas horas". Ele até suspeita que a multinacional aproveite as reservas estratégicas da França.

Ele disse que ainda não havia retomada do diálogo com a alta administração. "O pré-requisito" para qualquer suspensão do movimento era "a retirada da aplicação da lei no dia da solidariedade", acrescentou. “Os funcionários estão mais determinados do que nunca, eles irão por todo o caminho. "

Leia também: Desenvolvimento sustentável

A greve ocorre alguns dias após a assembléia geral dos acionistas da Total, que aprovou as contas de 2004 marcadas por um lucro líquido recorde de 9,61 bilhões de euros e durante o qual Thierry Desmarest, chefe do grupo, reafirmou sua posição. apego ao diálogo social.

Fonte: SDA-ATS www.Swissinfo.org

Deixe um comentário

Seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios estão marcados com *