Universidade de Hohenheim inaugura laboratório de biogás

A produção de eletricidade a partir da biomassa está passando atualmente por um boom comparável ao da energia eólica. Desde 1º de agosto de 2004, a lei sobre energias renováveis ​​garante aos operadores de instalações de biogás 20 centavos de euro por quilowatt-hora.

Graças ao seu novo laboratório de biogás, a Universidade de Hohenheim (Baden-Württemberg) está mostrando como essas instalações podem ser projetadas e operadas ainda melhor no futuro. As usinas de biogás produziam apenas 65 megawatts no final do milênio. Espera-se que eles produzam cerca de mil até o final do próximo ano. E o número de instalações deve, segundo a associação profissional de biogás (Fachverband Biogas), aumentar de 1000 para 2500.

Nessas instalações, a corrente é produzida mais ou menos a partir de resíduos: chorume, ervas ou outras plantas. “Graças aos preços garantidos para os próximos vinte anos, é um negócio lucrativo para muitos agricultores”, explica Thomas Jungbluth, diretor do instituto de tecnologia agrícola da Universidade de Hohenheim. “Graças a este laboratório, queremos desenvolver e experimentar uma nova geração de instalações eficientes”, explica Hans Oechsner, o
diretor do instituto nacional de máquinas agrícolas e de construção. Com 28 reatores, a instalação permite testar simultaneamente diferentes materiais de biomassa com diferentes dispositivos e métodos. Os reatores também são abastecidos sob o controle de uma máquina e o
a quantidade de gás produzido é inserida automaticamente por um computador.

Leia também:  Prédios vagos por cinco anos serão tributados

Contatos:
- Dr. sc. Agr. Hans Oechsner - Landesanstalt fur Landwirtschaftliches
Maschinen- und Bauwesen - tel: +49 711 459 2684, fax: +49 711 459 2519 -
e-mail:
oechsner@uni-hohenheim.de
Fontes: Depeche IDW, Comunicado à Imprensa da Universidade de Hohenheim,
06/12/2004
Editor: Nicolas Condette,
nicolas.condette@diplomatie.gouv.fr

Deixe um comentário

Seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios estão marcados com *