ONU: obter o direito à autonomia energética na DUDH

Compartilhe esse artigo com seus amigos:

Este texto propõe acrescentar a noção de acesso à autonomia energética aosArtigo 25 da Declaração dos Direitos Humanos. Isto é para que o acesso à energia não dependa exclusivamente (ou quase) de multinacionais, algumas das quais se tornaram mais ricas do que muitos países! Este texto deve ser endereçado a tomadores de decisão políticos, institucionais e não-governamentais.

São vocês, cidadãos, líderes de ONGs, associações, fundações e personalidades da mídia que apoiam você, que tem muito do poder necessário para tornar a COP 25 muito mais construtiva do que aquela que acaba de terminar, e que os direitos humanos - últimos anos 70 - tenham uma aparência jovem e sejam adaptados ao 21ième Siècle.

ONU Genebra

É suficiente que você obtenha a adição de um ponto 3eme ao artigo 25 do Declaração Universal dos Direitos Humanos

Artigo 25:

1. Toda pessoa tem direito a um padrão de vida adequado à saúde, ao bem-estar e ao bem-estar de sua família, incluindo alimentos, roupas, moradia, assistência médica e os serviços sociais necessários; ela tem o direito à segurança em caso de desemprego, doença, invalidez, viuvez, velhice ou em outros casos de perda de seus meios de subsistência como resultado de circunstâncias além de seu controle.

2. A maternidade e a infância têm direito a ajuda e assistência especiais. Todas as crianças, nascidas dentro ou fora do casamento, desfrutam da mesma proteção social.

3. A fim de garantir este padrão de vida, saúde e bem-estar, cada pessoa tem o direito de produzir e consumir a energia necessária às suas necessidades, sem ter que pagar nenhuma taxa de produção ou imposto consumo. A menos que negocie a energia produzida, que entraria, portanto, na legislação vigente para todas as formas de comércio.

O 24 COP tem sido um COP de avanço não mais real por causa dos lobbies de energia, já que vários estados querem não apenas manter o monopólio da energia em todas as suas formas, baseando-se no ditado:

"Energia é poder! "

Mas além de fazer crer que até agora a energia era abundante e não cara, e que daqui em diante ela se tornaria mais raro e mais caro.

Parece-me que hoje:



Existem suficientes organizações científicas, instituições, ONGs, associações, convencidos de que é absolutamente essencial implementar todas as soluções que visam lutar contra o aquecimento global e capaz de trazer energia limpa e barata em todas as regiões do mundo, evitando assim o desmatamento e a desertificação.
O Sr. Ramon Gutteriez colocaria todo o peso de sua função para obter a ratificação desse acréscimo para que todos "pudessem contribuir" (segundo a fórmula da associação Colibris de Pierre Rabhi) para essa luta pela sobrevivência do povo. humanidade.

Muitos cidadãos do mundo e empresas (motivados também por economias substanciais) e, claro, cidades apoiariam maciçamente este direito à autonomia energética.

Naturalmente, este será rapidamente o fim de todas as redes de transmissão de eletricidade de alta tensão, as vendas especulativas de um país para outro, os impostos injustificados, os poderes de restrição exercidos sobre as empresas e as populações. Além disso, é um enriquecimento pela base porque todos os pequenos artesãos, TPE, SME ganharão muito melhor sua vida e aí a famosa teoria do "run-off" realmente terá efeito, porque o dinheiro circulará para melhorar o conforto de cada um.

É verdade que sempre haverá dois mercados, aqueles que podem comprar autogeradores e aqueles que só podem comprar eletricidade. Neste princípio, são as cidades e aldeias que criarão a sua empresa de produção / distribuição e, com os lucros, farão com que os seus serviços públicos funcionem.
Então, é apenas uma redistribuição. Aqueles que têm mais dinheiro se tornarão produtores / consumidores, mas crescerão e, logicamente, pagarão mais impostos, aqueles com menos dinheiro pagarão menos pela eletricidade, mas esse custo ainda permitirá lucros que, em vez de beneficiar os acionistas. empresas muito grandes beneficiarão os serviços públicos de cidades e aldeias.

Os efeitos colaterais, não menos importantes, o enriquecimento da base populacional irão frear as adesões a movimentos extremistas (políticos e religiosos), às migrações econômicas e climáticas, e à demografia (mais uma população é enriquecida quanto menor sua taxa de nascimento)

Mas se este acréscimo à Declaração dos Direitos Humanos não for feito, será muito mais fácil para qualquer estado, por conta própria, ou sob a influência de um lobby poluidor de geração de energia. , impedir o estabelecimento no seu território de soluções próprias que ofereçam autonomia às pessoas, empresas ou vilas e aldeias.

Estamos procurando boa vontade para nos ajudar, por um lado, a ter uma petição assinada por um coletivo de personalidades, depois depositá-la e animar seu crescimento até que a Comissão de Direitos Humanos da ONU se encarregue dela. e votá-lo com o apoio do apoio popular internacional massivo.

comentários do Facebook

1 comenta "ONU: tenha direito à autonomia energética na DUDH"

  1. Olá

    A energia é expressa em várias formas, mecânica, térmica, luminosa, radiante, elétrica, química, ... E também na forma de matéria, desaparecimento da matéria em uma explosão atômica.
    A energia não pode ser criada ou destruída.
    A teoria quântica e a teoria das cordas também abrem novos horizontes para nós. Para pensar sobre isso, nem sabemos a verdadeira natureza da energia. E se acreditamos determiná-lo, é de acordo com nossa percepção e nossas referências. Percepção e referências, prisioneiros como nós deste universo que nos limita no espaço-tempo, dos quais uma das fronteiras que nos são impostas, é a velocidade da luz.

    Portanto, é muito bonito querer, ainda é necessário poder obter uma energia autônoma a mais independente possível da natureza.
    E mesmo que alguém tenha uma idéia correta, lógica, totalmente demonstrada na teoria. Então, ninguém se importa (ou parece interessado). Eu dou o exemplo neste link.
    https://invention-europe.com/2019/06/07/reflexion-sur-le-couple-mecanique-de-la-reactance-dinduit-dans-les-alternateurs/
    O artigo, embora com aparência complexa, é de nível médio. Não vejo erro, nenhum aspecto permaneceu inexplicável e, para mim, deve funcionar.

    Então eu acho que não há apenas um problema, há a evolução da humanidade que inclui inúmeros problemas, um dos principais, é a mentalidade dos indivíduos que anula o futuro desta humanidade.

    Isso não é ganho

Deixe um comentário

Seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios estão marcados com *