Brachypodium e biocombustíveis

Uma pequena erva chamada Brachypodium seria de grande ajuda na pesquisa de biocombustíveis

Brachypodium disachyon, uma pequena erva roxa de regiões temperadas, está promovendo pesquisas de bioenergia. John Vogel e Yong Gu, dois pesquisadores do Serviço de Pesquisa Agronômica (ARS) do Laboratório de Pesquisa da Albânia, na Califórnia, irão acelerar a pesquisa em bioenergia graças à transformação genética bem-sucedida do Brachypodium disachyon, uma grama, prima direto Switchgrass (Panicum virgatum) geralmente estudado para a produção de bioetanol.

Os pesquisadores são os primeiros a introduzir com sucesso um gene no genoma de Brachypodium disachyon usando a bactéria Agrobacterium tumefaciens. Já em 2002, David Garvin - um geneticista de plantas da ARS - foi o primeiro a se interessar por esta planta. Esse geneticista havia decifrado todo o seu genoma e feito dela uma planta de estudo modelo, devido ao seu genoma pequeno (~ 300Mbp), para a produção de combustível. Este estudo permitiu que o professor Yong Gu e sua equipe desenvolvessem recentemente o mapa genético do Brachypodium disachyon, uma inovação para esta planta. Esse mapa genético permite localizar com precisão cada gene na planta. Muitos laboratórios de genética de plantas localizados em mais de 20 países diferentes estão trabalhando agora com esta planta.

Leia também:  Estudo de biocombustíveis: insumos agrícolas

Este novo método de transformação genética permite determinar as funções de cada gene na planta com mais precisão do que os métodos usuais. Para isso, os cientistas conseguiram, graças à introdução de genes da bactéria Agrobacterium tumefaciens, inativar as funções de determinados genes da planta para melhor determinar outras funções genéticas menos conhecidas.

Esse avanço genético faz do Brachypodium disachyon a planta mais interessante para pesquisas globais sobre genética de plantas para produção de biocombustíveis.

Fonte: BE USA

Deixe um comentário

Seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios estão marcados com *