Aquecimento descontrolado

Relatório de Difusão na JT 13h France2 do mês de Novembro 30 2005.

Palavras-chave: aquecimento global, conseqüência, solos, meio ambiente, fuga

O relatório evoca a liberação preocupante de CO2 das turfeiras. De fato; um estudo mostrou que o solo atualmente emite duas vezes mais CO2 do que há 25 anos. Em outras palavras: o solo absorve a metade.

Esta é uma consequência direta do aquecimento global e, portanto, da aceleração da decomposição das plantas que emitem CO2 ou, pior, metano.

A estimativa para a Grã-Bretanha da quantidade de CO2 excedente liberada é da ordem de 8%.

Este fenômeno constitui um "efeito estufa descontrolado" da mesma forma que a liberação de hidratos de metano contidos no permafrost ou nos oceanos.

Transferir vídeo

Anexo: cálculo estimado da massa de CO2 correspondente a esses 8%.

Baseamos-nos nos números da 2001 para o consumo de petróleo e gás na Grã-Bretanha, a saber:
1) 1,71 Milhões de barris / dia de petróleo. Eles rejeitarão ao longo de um ano cerca de 250 bilhões de kg de CO2.

2) 92,85 bilhões de Nm3 de gás natural que liberarão cerca de 1,87 * 92,85 = 174 bilhões de kg de CO2.

Obviamente, nem todo o consumo de petróleo é usado para combustão, mas a parcela de outras energias não renováveis ​​(principalmente carvão) compensa sem dúvida essa aproximação.

Ele vem da 424 milhões de toneladas de lançamentos da CO2 por um ano. O% 8 corresponde a 34 milhões de toneladas de CO2.

Por outro lado, essa quantidade de CO2 corresponde a um consumo “virtual” de 13,6 milhões de toneladas de petróleo, ou 85 milhões de barris. ou o equivalente a 13% a mais no consumo de petróleo na Grã-Bretanha.

Conclusão: Diante de tal fenômeno de agravamento do fenômeno do aquecimento, podemos legitimamente fazer a seguinte pergunta "Como podemos imaginar sermos capazes de cumprir os requisitos do protocolo de Kyoto?" »E, correlativamente, como estimar emissões confiáveis ​​de CO2?


Leia também:  2013 o fim do petróleo (Docu-ficção)

Deixe um comentário

Seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios estão marcados com *