Mini usina na adega: a célula de combustível, solução do futuro?

A utilização estacionária de células a combustível é uma das soluções do futuro para o aquecimento urbano: é uma técnica economicamente vantajosa que dá um importante contributo para a redução das emissões de gases com efeito de estufa. Mas essas mini usinas elétricas
só se tornarão interessantes quando permitirem o aquecimento da água das instalações domésticas tradicionais. É nisso que David Agar, do Instituto de Química Técnica da Universidade de Dortmund (Renânia do Norte - Vestfália), está trabalhando.

Os primeiros dispositivos verdadeiramente funcionais do tamanho de uma máquina
a lavagem deve aparecer no mercado dentro de 5 anos. Nessa altura, estas pequenas centrais estacionárias terão de prestar um serviço semelhante às instalações convencionais, ou seja, tempos de vida até 40 horas. Para isso, o Professor Agar realiza pesquisas com
com a ajuda de sua aluna de doutorado Anja Wick sobre a economia do hidrogênio em células a combustível: eles analisam e aprimoram os quatro catalisadores que participam do processo de transformação do gás natural em hidrogênio até a produção do hidrogênio pode ser garantido para o longo período de operação necessário. O objetivo da pesquisa é otimizar
a qualidade de filtragem dos catalisadores, de forma que o hidrogênio utilizado como fonte de energia seja o mais puro possível.

Leia também:  Crise bancária e financeira: econologia no jornal Le Monde de Gérard Mermet

As instalações fixas de células a combustível têm grande potencial de mercado, o excedente de energia que essas pequenas usinas produziriam poderia ser vendido no restante da rede, aumentando ainda mais a rentabilidade da instalação.

Contatos:
- Professor. Dr. David Agar, Tel: +49 231 755 2694, E-Mail:
david.agar@bci.uni-dortmund.de
Fontes: Depeche IDW, Comunicado à Imprensa da Universidade de Dortmund,
21/03/2005
Editor: Nicolas Condette, nicolas.condette@diplomatie.gouv.fr

Deixe um comentário

Seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios estão marcados com *