Quando o governo prefere lobbies ...

Partidos de esquerda e ativistas ambientais denunciaram na segunda-feira a "repressão" realizada contra ativistas anti-OGM, especialmente no último fim de semana em Solomiac, nas Gers.

José Bové e seis outros manifestantes foram presos na noite de domingo pela polícia durante uma manifestação, dispersa sem cerimônia pela polícia, contra organismos geneticamente modificados.

Os manifestantes, que eram cerca de 500, se reuniram para atender ao chamado do coletivo “Reapers of GMOs” para ceifar um campo de milho transgênico. Vários deles ficaram feridos.

“Os procedimentos instituídos marcam tanto a desproporção repressiva a que este governo se acostumou, quanto a arbitrariedade que continua a demonstrar”, disse a Liga dos Direitos Humanos em um comunicado à imprensa.

Para a LDH, “essas plantações ou julgamentos não foram precedidos de nenhum debate democrático e foram impostos, inclusive aos agricultores vizinhos”.

Por isso, ela apela à instituição judicial, que intentou ações judiciais contra muitos “cortadores voluntários”, incluindo o ex-porta-voz da Confederação Camponesa José Bové e o deputado Vert Noël Mamère, “a não ceder aos desejos do governo. "

O Partido Comunista, que pede uma moratória no cultivo de OGM ao ar livre, também "condenou a dura repressão" contra ativistas anti-OGM.

Leia também:  Democracia e eleições, e se levarmos em conta os votos brancos das urnas?

“Esses homens e mulheres defendem a saúde pública recusando-se a cultivar OGM em um ambiente aberto. Basicamente, eles estão pedindo a aplicação estrita do princípio da precaução ”, escreveu.

Do lado dos ambientalistas, o Greenpeace denunciou a "repressão sem precedentes realizada pela polícia" nas Gers, sem exigir a roçada dos campos de cultivo de OGM.

A entidade prefere centrar a sua ação na publicação de listas de produtos que contenham OGM, a fim de incentivar os franceses a não consumi-los e a "abrir o mercado".

A Confederação Camponesa também condenou “esta libertinagem totalmente desproporcional da violência policial”.

“Enquanto 80% da população se declara contra os OGM, o estado apenas opõe a violência e a repressão às suas preocupações. Ele escolhe proteger os interesses financeiros das empresas de biotecnologia contra os desejos da população“, Ela declara.

Deixe um comentário

Seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios estão marcados com *