Morte de Jacques Benveniste

PARIS (AP) - Jacques Benveniste, diretor emérito de pesquisa do Instituto Nacional de Saúde e Pesquisa Médica (Inserm), medalha de prata do Centro Nacional de Pesquisa Científica (CNRS), morreu em Paris no domingo , aos 69 anos.

Jacques Benveniste deixou a sua marca no Instituto Nacional de Saúde e Investigação Médica, do qual “continua a ser uma das personalidades científicas de destaque, nomeadamente com a sua investigação sobre inflamação, alergia e descoberta do factor activador de plaquetas (PAF) - Acether (PAF) ”, uma das moléculas envolvidas na ativação plaquetária, destacou o INSERM em nota à imprensa.

Foi na segunda parte de sua carreira que esse cientista propôs hipóteses que suscitaram fortes disputas, em particular sobre a memória da água. Afirmou, estudos e experimentos com a chave, que a diluição de uma substância na água a níveis tais que nenhuma molécula da dita substância esteja presente manteria suas características graças à famosa "memória da água" . A água seria capaz de guardar a "memória" da estrutura molecular de uma substância diluída.

Leia também:  Um carro com nitrogênio líquido é antigo, mas ainda é eficiente.

Desde 1973, Jacques Benveniste trabalha na Inserm, onde chefiou várias unidades. Seu trabalho em alergologia deu-lhe fama internacional e abriu novas perspectivas terapêuticas no campo da alergia e inflamação.

A exploração das funções da molécula denominada PAF foi além da descoberta inicial e levou ao desenvolvimento de novas estratégias antiinflamatórias. AP

Fonte: http://fr.news.yahoo.com/

Deixe um comentário

Seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios estão marcados com *