Biogás, nova tecnologia Biomassa em Gás

Eletricidade e calor produzidos a partir de biomassa com nova tecnologia de produção de gás

Em 3 de agosto de 2009, o Ministro Federal do Meio Ambiente, Sigmar Gabriel, disponibilizou cerca de 3,5 milhões de euros para a plataforma tecnológica de bioenergia e metano (TBM, [1]), no âmbito do programa federal de inovação ambiental. Com a ajuda de um projeto piloto, a empresa TBM implementará pela primeira vez um processo de produção de gás recentemente desenvolvido para produzir energia elétrica e calor a partir da biomassa. Assim, cerca de 26.000 toneladas de dióxido de carbono (CO2) podem ser economizadas. Além disso, uma plataforma de pesquisa e desenvolvimento "BtG" (Biomass-to-Gas, [2]) é construída no mesmo local, dotada de 1,1 milhões de euros no âmbito do programa de apoio federal " Otimização do uso energético da biomassa ”.

Segundo Sigmar Gabriel, “o aproveitamento energético da biomassa é um fator fundamental na aplicação prática do pacote de medidas votado pelo governo federal em 2007 para o combate às mudanças climáticas. Queremos reduzir as emissões de gases de efeito estufa em 40% até 2020 em comparação com o nível de 1990. Produção descentralizada de gás a partir de biomassa, destinada a produzir eletricidade e calor juntos, usar matérias-primas com mais eficiência e gerar menos emissões ”.

Leia também:  Etanol Ecobilan, questionamento do estudo da Price Waterhouse Coopers

A empresa TBM colocará em prática uma técnica desenvolvida recentemente pelo centro de pesquisa em energia solar e hidrogênio (ZSW, [3]) da região de Baden-Württemberg. Em comparação com as instalações de biomassa atualmente em operação, será implementado um novo material utilizado como leito fluidizado [4] e um método de operação diferente que possibilite a produção de um gás rico em hidrogênio. O óxido de cálcio usado como leito fluidizado contribui para a redução da quantidade de CO2 e alcatrão contidos no gás. Além disso, o uso de temperaturas reduzidas permite o aproveitamento de resíduos de madeira e, portanto, as altas demandas do local, nas imediações da reserva da biosfera da Suábia Alb, são levadas em consideração.

Com o projeto de pesquisa, serão estudadas possibilidades de uso não poluente do gás AER produzido [5], em particular para a produção adicional de hidrogênio e em substituição ao gás natural. Além disso, as possibilidades de produção de maior eficiência serão exploradas.

Leia também:  O papel energético da agricultura

Os dois projetos serão apoiados no âmbito da iniciativa de combate às alterações climáticas do Ministério Federal do Ambiente (BMU). O Land de Baden-Württemberg participa no projeto de pesquisa com a quantia de 1,3 milhões de euros e está investindo 500.000 euros adicionais na construção do centro de demonstração.

- [2] BtG: Biomassa para Gás, combustível sintético líquido. A rota Btl compreende três etapas principais: o condicionamento da biomassa (pirólise ou torrefação), a gaseificação e tratamento do gás de síntese, e a síntese do próprio combustível de acordo com a reação de Fischer-Tropsch.

- [4] Leito fluidizado: um leito fluidizado é constituído por um conjunto de partículas sólidas percorridas de baixo para cima por um fluido cuja vazão é tal que o atrito do fluido com os grãos equilibra seu peso. As partículas são postas em movimento e sofrem muitas interações, mas seu movimento baricêntrico médio é zero.

Leia também:  Agrocombustíveis ou de biocombustíveis? definição proposta para distinguir

- [5] AER: Reforma Aprimorada por Absorção

Fonte: BE Alemanha

Deixe um comentário

Seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios estão marcados com *