Biogás, nova tecnologia Biomassa em Gás

Eletricidade e calor produzidos a partir de biomassa com a nova tecnologia de produção de gás

Em 3 de agosto de 2009, o Ministro Federal do Meio Ambiente Sigmar Gabriel disponibilizou aproximadamente 3,5 milhões de euros para a plataforma tecnológica de bioenergia e metano (TBM, [1]), como parte do programa federal de inovação ambiental. Com a ajuda de um projeto piloto, a empresa TBM aplicará pela primeira vez um processo de produção de gás desenvolvido recentemente para produzir energia elétrica e calor a partir de biomassa. Isso economizará cerca de 26.000 toneladas de dióxido de carbono (CO2). Além disso, uma plataforma de pesquisa e desenvolvimento de "BtG" (Biomassa para gás, [2]) está sendo construída no mesmo local, com 1,1 milhão de euros no programa federal de apoio " Otimizando o uso de energia da biomassa ”.

Segundo Sigmar Gabriel, "o uso de energia da biomassa é um fator fundamental na implementação prática do pacote de medidas votadas pelo governo federal em 2007 para combater as mudanças climáticas. Queremos reduzir as emissões de gases de efeito estufa em 40% até 2020 em comparação com os níveis de 1990. A produção descentralizada de gás a partir de biomassa, destinada a produzir eletricidade e calor de maneira acoplada, usará as matérias-primas com mais eficiência e gerará menos emissões ”.

Leia também: Bioetanol na FR2

A empresa TBM colocará em prática uma técnica recentemente desenvolvida pelo centro de pesquisa em energia solar e hidrogênio (ZSW, [3]) na região de Baden-Württemberg. Em comparação com as instalações de biomassa atualmente em operação, será aplicado um novo material usado como leito fluidizado [4] e um método operacional diferente que permita produzir um gás rico em hidrogênio. O óxido de cálcio usado como leito fluidizado contribui para a redução da quantidade de CO2 e alcatrão contida no gás. Além disso, o uso de temperaturas reduzidas permite o uso de resíduos de madeira e, portanto, são levados em consideração os altos requisitos relativos ao local, nas imediações da reserva da biosfera da Alb da Suábia.

Com o projeto de pesquisa, serão estudadas possibilidades não poluentes para o uso do gás produzido AER [5], em particular para a produção adicional de hidrogênio e para substituir o gás natural. Além disso, serão exploradas possibilidades de produção com maior eficiência.

Leia também: diéster de biodiesel em TF1

Os dois projetos serão apoiados como parte da iniciativa de combate às mudanças climáticas iniciada pelo Ministério Federal do Meio Ambiente (BMU). O Land de Baden-Württemberg está participando do projeto de pesquisa por 1,3 milhão de euros e investindo 500.000 euros adicionais na construção da instalação de demonstração.

- [2] BtG: combustível sintético líquido de biomassa em gás. A via Btl compreende três etapas principais: condicionamento da biomassa (pirólise ou torrefação), gaseificação e tratamento do gás de síntese e síntese do combustível adequado, de acordo com a reação de Fischer-Tropsch.

- [4] Leito fluidizado: um leito fluidizado consiste em um conjunto de partículas sólidas atravessadas de baixo para cima por um fluido cujo fluxo é tal que o atrito do fluido nos grãos equilibra seu peso. As partículas são colocadas em movimento e sofrem numerosas interações, mas seu movimento bariencêntrico médio é zero.

Leia também: Pongamia pinnata, colheita de energia na Índia

- [5] AER: reforma aprimorada por absorção

Fonte: BE Alemanha

Deixe um comentário

Seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios estão marcados com *